sicnot

Perfil

Rio 2016

Pokémon Go chega ao Brasil nas vésperas dos Jogos Olímpicos

© Kim Kyung Hoon / Reuters

O jogo Pokémon GO, que usa realidade aumentada para o usuário capturar 'monstros' através do telemóvel enquanto caminha, começou a funcionar no Brasil na quarta-feira, dois dias antes dos Jogos Olímpicos.

A chegada do jogo, que está a causar uma febre mundial, era esperada com grande expectativa pelos brasileiros e também por atletas dos Jogos Olímpicos 2016 que foram chegando ao Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos, que decorrem de sexta-feira a 21 de agosto.

Entre várias queixas que se ouviram por parte de atletas nos últimos dias, a par de problemas nos apartamentos da Aldeia Olímpica, estava a ausência do jogo.

"Estamos muito entusiasmados por estarmos oficialmente a colocar o Pokémon GO nas mãos dos nossos fãs na América Latina, visitantes e atletas olímpicos no Rio", lê-se numa mensagem publicada na página do jogo na rede social Facebook.

O Pokémon GO já foi descarregado mais de 100 milhões de vezes, segundo a consultora Sensor Tower, estabelecendo um recorde para um aplicativo móvel lançado há menos de um mês.

O jogo 'online' foi desenvolvido pela Niantic, empresa que surgiu dentro do Google, mas que se separou dela em 2015, e pela Pokémon Company.

A Nintendo tem um terço das ações da Pokémon Company e conta ainda participações não reveladas na Niantic.

Lusa

  • "É pesado dizer a miúdos que ainda ontem os pais estavam a ensinar o atar ténis que vão ficar em prisão preventiva"
    2:49
  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões destes animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.