sicnot

Perfil

Rio 2016

Telma Monteiro vai defrontar a número um mundial

M\303\201RIO CRUZ

A judoca portuguesa Telma Monteiro, número oito mundial, poderá encontrar a mongol Sumiya Dorjsuren, líder do ranking, no seu segundo confronto na categoria -57kg nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Isenta da primeira ronda, a atleta do Benfica ainda espera pela adversária na segunda eliminatória, que sairá do confronto entre a russa Irina Zabludina, 23.ª do ranking, e a neozelandesa Darcina Manuel, 25.ª.

Um possível encontro com Dorjsuren dará acesso às meias-finais da categoria -57kg, que se disputa a 8 de agosto.

Na véspera, Joana Ramos, 17.ª da hierarquia, será das primeiras portuguesas a entrar em ação, frente a Antoinette Gasondo, do Burundi, que está na 152.ª posição do ranking, podendo depois defrontar a chinesa Yangnan Ma, nona.

No mesmo dia, nos -66kg, Sergiu Oleinic, que foi o mais "infeliz" do sorteio, vai defrontar na primeira ronda o ucraniano Georgi Zantaria, número cinco mundial.

Nos -81kg, a 09 de agosto, Nuno Saraiva, 40.º do mundo, vai defrontar o húngaro Miklos Ungvari, 19.º da hierarquia.

Célio Dias, 22.º nos -90kg, terá, em teoria, uma primeira ronda fácil, uma vez que defrontará Celtus Sossou Yovo, do Benim, que ocupa o 222.º lugar do 'ranking', mas poderá encontrar na ronda seguinte o sueco Marcus Nyman, quarto.

Nos -100kg, Jorge Fonseca também teve um sorteio favorável, uma vez que vai defrontar o afegão Mohamed Bakhshi, 226.º do mundo, antes de poder encontrar o quarto da hierarquia, o checo Lukas Rapalek.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.