sicnot

Perfil

Rio 2016

Gastão Elias "extremamente orgulho" com vitória

LUSA

O português Gastão Elias mostrou-se hoje "extremamente orgulhoso" por ter 'selado' no Rio2016 a primeira vitória do ténis português em Jogos Olímpicos, ao bater o australiano Thanasi Kokkinakis, na primeira ronda do quadro de singulares masculinos.

"Sabendo isso agora, significa muito. É uma honra entrar para a história de Portugal, com a primeira vitória do ténis nos Jogos Olímpicos. Estou extremamente orgulhoso por isso e espero continuar com muitas mais. Eu e o João (Sousa)", disse o tenista luso, na zona mista.

O número dois do ténis luso e 61.º jogador mundial superou o 452.º da hierarquia, que entrou no quadro com 'ranking' protegido, em dois 'sets', pelos parciais de 7-6 (7-4) e 7-6 (7-3), num embate que durou duas horas e 12 minutos e não o satisfez em pleno.

"Feliz pelo ténis que pratiquei? Estou feliz pela vitória, estou feliz pela vitória. Senti que não estive ao meu melhor nível", disse, frisando, porém: "Joguei bem nos momentos importantes e acho que isso fez a diferença".

Gastão Elias salvou quatro 'set points' no primeiro parcial, quando perdia por 5-4, e nos dois 'tie-breaks' esteve insuperável, nomeadamente ao conquistar todos os pontos no seu serviço. Sabe, no entanto, que pode fazer mais.

"Tive momentos em que passei para a frente no resultado e que não soube gerir tão bem a pressão. Estive também um pouco nervoso para fechar o jogo, mas, no geral, estou contente, sendo que, ao mesmo tempo, sei que posso melhorar bastante para as próximas rondas", explicou.

O jogador luso poderia ter evitado o 'tie-break', nomeadamente no segundo parcial, mas deixou o australiano quebrar o seu serviço, quando liderava por 5-4 e 6-5.

"Ainda sinto que fiz muitas jogadas erradas, por conta também de não competir há muito tempo em piso rápido. O positivo é que vou daqui com uma vitória e tenho muita coisa a melhorar, o que é bom para as próximas rondas", afirmou.

Na segunda ronda, Elias vai defrontar o norte-americano Steve Johnson, 12.º cabeça de série, que bateu Darian King, dos Barbados, em dois 'sets', pelos parciais de 6-3 e 6-2.

O jogador luso sente-se bem, até porque o Brasil lhe é completamente familiar: "Vivi quatro anos aqui e sinto-me em casa. Adorei o tempo em que vivi aqui e voltaria a viver sem problema nenhum, porque sinto falta das pessoas e gosto do povo brasileiro, mas quando o real estiver um bocadinho mais forte".

Gastão Elias sente-se em casa no Rio e em forma: "Estou, sem dúvida, no melhor momento da minha carreira, até agora. Há um ano atrás, acharia impossível chegar onde eu estou neste momento. Tive um ano mau em 2015 e desci muito no 'ranking'. Desci quase até aos 200."

"Depois, no final do ano, comecei a ganhar jogos, comecei a ganhar confiança e, com estes anos todos de trabalho que tive, o meu jogo começou a encaixar e comecei a subir bastante o meu nível de jogo. Estou muito feliz por estar onde estou agora", frisou o jogador luso.

O calor que hoje se fez sentir também não incomodou o português: "Estou muito habitado, pois já me falaram duas ou três vezes que estava muito calor e eu, para falar a verdade, nem senti. Já joguei em situações muito piores. Senti-me totalmente confortável dentro da quadra e estava pronto para correr mais duas, três horas se fosse preciso."

A finalizar, Gastão Elias destacou também o apoio da namorada, brasileira: "Se ter a namorada por perto também é bom? Quando eu ganho, é bom, quando eu perco... tenho de fugir, se não apanho."

Lusa

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.