sicnot

Perfil

Rio 2016

Rússia excluída dos Jogos Paralímpicos devido a escândalo de doping

O Comité Paralímpico Internacional (IPC) anunciou este domingo a exclusão da Rússia dos Jogos Paralímpicos Rio2016, na sequência do escândalo de doping organizado revelado pelo relatório McLaren.

"Suspendemos provisoriamente como membro o Comité Paralímpico da Rússia, pelo que, a equipa russa não competirá nos Jogos Paralímpicos Rio2016", anunciou em conferência de imprensa, o presidente do IPC, Philip Craven.

Ao contrário do Comité Olímpico Internacional (COI), que 'transferiu' para as federações das modalidades a responsabilidade de autorizar a participação dos atletas russos nos Jogos Olímpicos, optou por uma solução mais radical, excluindo toda a comitiva dos Jogos Paralímpicos, que começam a 07 de setembro.

O relatório McLaren, divulgado a 18 de julho, confirmou a existência de um esquema de dopagem na Rússia, que contava com o apoio estatal e "vigorava" desde 2011, inclusivamente durante os Jogos Olímpicos de Inverno Sochi2014.

Philip Craven, que classificou a medida hoje anunciada "como a melhor forma de defender os princípios do movimento paralímpico", referiu que, nas amostras de Sochi2014, figuram 44 de atletas paralímpicos.

O presidente do IPC solidarizou-se com todos os atletas paralímpicos "'limpos' que não participarão nos Jogos Rio2016", mas acrescentou: "Não tínhamos outra opção".

A Rússia, que pode recorrer da decisão para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), no prazo de 21 dias, é uma das grandes potências do desporto paralímpico, tendo terminado os Jogos Londres2012 na segunda posição do quadro de medalhas, com um total de 102 medalhas, das quais 36 de ouro, atrás da China.

Lusa

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.