sicnot

Perfil

Rio 2016

Coreia do Norte aproveita Olímpicos para fazer diplomacia

Reuters

Choe Ryong-hae, o número três da Coreia do Norte, aproveitou a visita aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro para se reunir com várias autoridades internacionais, informou hoje a comunicação social de Pyongyang.

A Coreia do Norte, que participa nos Olímpicos com 30 atletas, em nove modalidades, enviou para o Rio de Janeiro o seu número três e o facto de este ter mantido uma agenda ativa de reuniões é considerado uma tentativa de melhorar as relações com a comunidade internacional, muito deterioradas desde o início deste ano.

Choe, membro da cúpula do Partido dos Trabalhadores, vice-presidente da Comissão de Assuntos do Estado e braço-direito do líder Kim Jong-un, encontrou-se na sexta-feira com o presidente brasileiro Michel Temer, segundo divulgou a agência estatal KCNA.

As autoridades internacionais acordaram "promover o desenvolvimento das relações de amizade e cooperação" entre a Coreia do Norte e Brasil, segundo informou a KCNA.

Além disso, também se encontrou com os presidentes do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, do comité organizador dos Jogos, Carlos Arthur Nuzman, e da Federação Internacional de Judo (FIJ), Marius Vizer.

Pyongyang realizou em janeiro e fevereiro o quarto teste nuclear e o lançamento de um foguete espacial com tecnologia de misseis, pelo que o Conselho de Segurança da ONU aplicou as sanções comerciais mais fortes até agora.

Estas sanções impedem os membros das Nações Unidas de promover intercâmbios com a Coreia do Norte e enfraqueceram as poucas ligações com os outros países de todo o mundo.

No entanto, o regime de Kim Jong-un reafirmou a intenção de continuar a desenvolver armas nucleares, algo que é visto com preocupação por a comunidade internacional.

Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • "A maioria das pessoas que criticou André Ventura nunca viveu esses problemas"
    3:43

    Opinião

    A polémica em torno das declarações do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, sobre o modo de vida da etnia cigana no concelho, esteve em análise no Jornal da Noite desta segunda-feira. Miguel Sousa Tavares defende que "os problemas existem mas não podem ser generalizados". O comentador SIC considera, ainda assim, que André Ventura tem razão quando diz que "a maioria das pessoas que o criticou nunca viveu esses problemas".

    Miguel Sousa Tavares