sicnot

Perfil

Rio 2016

Coreia do Norte aproveita Olímpicos para fazer diplomacia

Reuters

Choe Ryong-hae, o número três da Coreia do Norte, aproveitou a visita aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro para se reunir com várias autoridades internacionais, informou hoje a comunicação social de Pyongyang.

A Coreia do Norte, que participa nos Olímpicos com 30 atletas, em nove modalidades, enviou para o Rio de Janeiro o seu número três e o facto de este ter mantido uma agenda ativa de reuniões é considerado uma tentativa de melhorar as relações com a comunidade internacional, muito deterioradas desde o início deste ano.

Choe, membro da cúpula do Partido dos Trabalhadores, vice-presidente da Comissão de Assuntos do Estado e braço-direito do líder Kim Jong-un, encontrou-se na sexta-feira com o presidente brasileiro Michel Temer, segundo divulgou a agência estatal KCNA.

As autoridades internacionais acordaram "promover o desenvolvimento das relações de amizade e cooperação" entre a Coreia do Norte e Brasil, segundo informou a KCNA.

Além disso, também se encontrou com os presidentes do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, do comité organizador dos Jogos, Carlos Arthur Nuzman, e da Federação Internacional de Judo (FIJ), Marius Vizer.

Pyongyang realizou em janeiro e fevereiro o quarto teste nuclear e o lançamento de um foguete espacial com tecnologia de misseis, pelo que o Conselho de Segurança da ONU aplicou as sanções comerciais mais fortes até agora.

Estas sanções impedem os membros das Nações Unidas de promover intercâmbios com a Coreia do Norte e enfraqueceram as poucas ligações com os outros países de todo o mundo.

No entanto, o regime de Kim Jong-un reafirmou a intenção de continuar a desenvolver armas nucleares, algo que é visto com preocupação por a comunidade internacional.

Lusa

  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03
  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.