sicnot

Perfil

Rio 2016

Judoca que ganhou primeiro ouro para o Kosovo está suspensa em França

A judoca Majlinda Kelmendi, que no domingo conquistou o primeiro ouro olímpico para o Kosovo nos Jogos Rio2016, está suspensa provisoriamente em França depois de ter recusado submeter-se em junho a um controlo antidoping.

De acordo com as agências internacionais, a nova campeã olímpica da categoria de -52 kg, Majlinda Kelmendi, foi suspensa pela Agência Francesa Antidoping (AFLD) a 16 de junho.

Aconselhada pelo seu treinador, Kelmendi recusou fornecer uma amostra de urina quando surpreendida durante um treino internacional com um controle antidoping inopinado em França.

A suspensão aplica-se apenas em França e a AFLD tomará uma decisão em relação ao assunto em setembro.

A judoca kosovar conquistou o primeiro ouro olímpico para o Kosovo ao vencer a italiana Odette Giuffrida por 'yuko' na final da categoria de -52 kg.

Majlinda Kelmendi, campeã mundial em 2013 e 2014 na mesma categoria, já tinha marcado presença nos Jogos Olímpicos de Londres2012 pela Albânia. A japonesa Misato Nakamura e a russa Natalia Kuziutina conquistaram a medalha de bronze.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras