sicnot

Perfil

Rio 2016

Anonymous Brasil ataca sites do Rio 2016 em protesto contra os Jogos

O grupo de hackers Anonymous Brasil informou esta terça-feira que invadiu e roubou dados de seis sites do Governo e da Câmara Municipal do Rio de Janeiro como protesto contra a realização dos Jogos Olímpicos de 2016 na cidade carioca.

As páginas entretanto bloqueadas são a da Polícia Civil, a do Instituto de Segurança Pública, a da Companhia Municipal de Limpeza Urbana, a do Portal Geo, a do Programa Internet Comunitária e a da Ouvidoria da Polícia do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

No vídeo em que explicou o ataque, o movimento Anonymous Brasil lembrou que o Campeonato do Mundo de futebol de 2014, também no Brasil, justificou a "remoção forçada de milhares de famílias de suas casas, a ocupação militar de certas regiões nas cidades, a perseguição aos críticos e opositores do evento e uma política de segurança baseada no extermínio de jovens nas periferias".

Para os 'hackers', os Jogos Olímpicos seguem a mesma lógica, excluindo os mais necessitados e beneficiando as grandes empresas.

Desafiando o povo a ir às ruas para lutar por seus direitos, o grupo prometeu atuar "também através da internet, expondo os escândalos e as canalhices das figuras proeminentes de nossa política para que o mundo possa ver o que temos sido obrigados a suportar".

A IplanRio, que administra os recursos de tecnologia de informação da câmara municipal, disse que nenhum dado foi suprimido da base de dados e que técnicos estão a trabalhar para normalizar os sites o mais rápido possível.

"A autarquia trabalha em caráter de emergência para normalizar o acesso às páginas o mais rápido possível", informou também o Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (Proderj).

O Proderj confirmou que o domínio 'rj.gov.br' está a sofrer um intenso ataque e informou que o acesso a alguns 'sites' foi bloqueado por precaução.

Os Jogos Olímpicos 2016 começaram na sexta-feira e terminam a 21 de Agosto.

Lusa

  • Tribunal de Contas apresentou reservas em relação ao SIRESP em 2006

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O Tribunal de Contas avisou em 2006 que o Estado poderia sair prejudicado nos moldes em que o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) estava a ser desenhado. De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, terão sido a ausência de um concurso público, a falta de tempo para a apresentação de propostas e mexidas no caderno de encargos a motivar as reservas do tribunal.

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Chef russo aconselha bife tártaro aos jogadores portugueses
    1:29
  • Bispo do Mali terá contas na Suíça com 12 M€
    1:49

    Mundo

    Há uma polémica a envolver um novo cardeal da Igreja católica. Um bispo do Mali, escolhido pelo Papa para o colégio cardinalício, está a ser relacionado com contas na Suíça onde estarão depositados milhões de euros. A cerimónia que o fará cardeal está marcada para hoje.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.