sicnot

Perfil

Rio 2016

Campeão europeu de 100 metros costas acusa chineses de doping

Reuters

O nadador francês Camille Lacourt, vice-campeão mundial e campeão europeu dos 100 metros costas, acusou os nadadores chineses de se doparem, em particular Sun Yang, o novo campeão olímpico dos 200 metros livres.

Relativamente a Sun Yang, o atleta francês afirmou "Enoja-me ver aldrabões no pódio"

Relativamente a Sun Yang, o atleta francês afirmou "Enoja-me ver aldrabões no pódio"

Reuters

"Dá-me vontade de vomitar", afirmou o nadador aos microfones de uma rádio francesa, acusando o chinês Sun Yang, que em 2014 esteve suspenso três meses por doping, de "mijar roxo".

Camille Lacourt terminou na quinta posição a final dos 100 metros costas dos Jogos Olímpicos Rio2016 e manifestou-se logo "bastante zangado" por a medalha de prata dessa prova ter sido conquistada pelo chinês Xu Jiayu.

"Causa-me muita tristeza ver o meu desporto comportar-se desta forma. Parece o atletismo, com dois ou três dopados em cada final. Espera que a Federação Internacional de Natação (FINA) reaja rapidamente e trave esta vergonha (...) Enoja-me ver aldrabões no pódio", disse.

Sun Yang, que foi campeão olímpico dos 400 metros livres nos olímpicos de Londres em 2012, já tinha sido alvo de críticas por parte do australiano Mack Horton.

Depois de ter conquistado a medalha de ouro na final dos 400 metros livres no Rio de Janeiro, relegando Sun Yang para o segundo lugar, Horton acusou o chinês de ser "um batoteiro" e um "drogado trapaceiro".

Lusa

  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.