sicnot

Perfil

Rio 2016

Campeão europeu de 100 metros costas acusa chineses de doping

Reuters

O nadador francês Camille Lacourt, vice-campeão mundial e campeão europeu dos 100 metros costas, acusou os nadadores chineses de se doparem, em particular Sun Yang, o novo campeão olímpico dos 200 metros livres.

Relativamente a Sun Yang, o atleta francês afirmou "Enoja-me ver aldrabões no pódio"

Relativamente a Sun Yang, o atleta francês afirmou "Enoja-me ver aldrabões no pódio"

Reuters

"Dá-me vontade de vomitar", afirmou o nadador aos microfones de uma rádio francesa, acusando o chinês Sun Yang, que em 2014 esteve suspenso três meses por doping, de "mijar roxo".

Camille Lacourt terminou na quinta posição a final dos 100 metros costas dos Jogos Olímpicos Rio2016 e manifestou-se logo "bastante zangado" por a medalha de prata dessa prova ter sido conquistada pelo chinês Xu Jiayu.

"Causa-me muita tristeza ver o meu desporto comportar-se desta forma. Parece o atletismo, com dois ou três dopados em cada final. Espera que a Federação Internacional de Natação (FINA) reaja rapidamente e trave esta vergonha (...) Enoja-me ver aldrabões no pódio", disse.

Sun Yang, que foi campeão olímpico dos 400 metros livres nos olímpicos de Londres em 2012, já tinha sido alvo de críticas por parte do australiano Mack Horton.

Depois de ter conquistado a medalha de ouro na final dos 400 metros livres no Rio de Janeiro, relegando Sun Yang para o segundo lugar, Horton acusou o chinês de ser "um batoteiro" e um "drogado trapaceiro".

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.