sicnot

Perfil

Rio 2016

João Rodrigues sobe ao 15.º lugar em RS:X

O velejador português João Rodrigues subiu esta terça-feira ao 15.º lugar da classe RS:X dos Jogos Olímpicos Rio2016, enquanto Gustavo Lima caiu para a 21.ª posição de Laser e Sara Carmo subiu a 29.ª de Laser Radial.

Nas três regatas realizadas hoje na baía de Guanabara, João Rodrigues foi duas vezes 15.º e uma vez 10.º, subindo três lugares, com 71 pontos.

Na liderança da prova, após seis regatas, está o britânico Nick Dempsey, que soma apenas nove pontos, seguido do holandês Dorian van Russelberg, com 10 e do polaco Piotr Myszka, com 16.

A frota de RS:X volta a competir na quinta-feira, a partir das 13:00 (17:00 em Portugal continental).

Em Laser, Gustavo Lima, que na segunda-feira era 14.º, caiu para a 21.ª posição, depois de ter sido 20.º e 26.º nas duas regatas hoje realizadas.

Após quatro regatas, o velejador do Clube Naval de Cascais tem agora 50 pontos, numa prova que é liderada pelo argentino Julio Alsogaray, com sete, seguido do croata Tonci Stipanovic, com 13, e do neozelandês Sam Meeche, com 14.

Na classe Laser Radial, Sara Carmo subiu da 34.ª para a 29.ª posição, depois de ter sido 22.ª e 25.ª nas terceira e quarta regatas, respetivamente.

A portuguesa tem 78 pontos, com a chinesa Xu Lijia a manter-se na liderança, com sete pontos, seguida da irlandesa Annalise Murphy, com 12, e da dinamarquesa Anne-Marie Rindom, com 13.

As classes Laser e Laser Radial têm mais duas regatas previstas para quarta-feira.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.