sicnot

Perfil

Rio 2016

Atletas olímpicos continuam a usar "doping legal"

© USA Today Sports / Reuters

O meldonium é a "droga legal" que se tornou mais conhecida com o escândalo que envolveu os atletas russos - muitos dos quais acabaram por ser impedidos de competir nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Mas há mais medicamentos do género a serem usados por atletas que atualmente competem nas Olimpíadas, afirmam especialistas.

Quando a tenista Maria Sharapova admitiu em março que tomava uma medicamento para o coração chamado meldonium, levantou-se um pouco do véu do que é prática corrente em competições desportivas: o "doping legal". Medicamentos prescritos por médicos, vendidos legalmente em farmácias e que melhoram a performance de atletas.

As autoridades desportivas não impuseram proibições a estas drogas legais e há muitos atletas no Rio que aproveitam o vazio legal, afirmam especialistas.

"Se não foi proibido, os atletas usam-no", garante o cientista Ronald Evans, do Laboratório norte-americano Gene Expression Laboratory, em entrevista à rádio NPR.

Meldonium é um fármaco para doenças cardíacas, mas também melhora o desempenho sexual e desportivo e foi proibido no meio desportivo desde o início do ano. Como a tenista Sharapova admitiu a utilização do medicamento em março, acabou por ser banida dos Jogos Olímpicos. Como ela foram impedidos de participar centenas de atletas, sobretudo russos.

Desde a proibição, o meldonium foi detetado em mais de 100 atletas, segundo a Agência Mundial Antidoping, mas os níveis da droga são baixos, pelo que foram autorizados a participar nestes Jogos.

Mas nem só de meldonium "vive" o doping legal. Outros medicamentos "que melhoram a circulação sanguínea, melhoram o nível de oxigénio nos músculos, logo, melhoram a performance", sublinha Ronald Evans. Todos fáceis de obter.

Outro medicamento é o telmisartan, recomendado para a pressão arterial e que, tal como o meldonium, melhora a circulação sanguínea. Foi colocado numa lista da Agência Mundial Antidoping de drogas a monitorizar, mas nunca foi proibido.

E isso significa que um atleta "tem necessariamente de considerar tomá-lo", conclui Ronald Evans.

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57