sicnot

Perfil

Rio 2016

Autocarro que transportava jornalistas para o Rio 2016 com vidros partidos após ataque

© Shannon Stapleton / Reuters

Um autocarro oficial que transportava jornalistas acreditados para os Jogos do Rio 2016 foi hoje atacado e dois dos seus vidros partidos, disse à AFP um jornalista argentino que se encontrava a bordo.

"Ouvimos os impactos no lado direito do autocarro, duas janelas ficaram partidas. Um jornalista da Bielorrússia ficou ferido numa mão devido aos cacos dos vidros", disse Gaston Sainz, jornalista do quotidiano argentino La Nacion.

O jornalista referiu ainda que não sabiam se o que atingiu as janelas eram balas ou garrafas.

© Shannon Stapleton / Reuters

"Nós atirámo-nos para o chão e, dois quilómetros depois, a polícia chegou e escoltou-nos para o centro de imprensa (MPC)", acrescentou o jornalista.

O ataque verificou-se às 20:00 locais (00:00 em Lisboa), próximo da favela conhecida como Cidade de Deus, reconhecida como uma das mais violentas do Rio de Janeiro.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.