sicnot

Perfil

Rio 2016

Fiscais encontram 3.500 trabalhadores em situação ilegal na Aldeia Olímpica

Fiscais do Ministério do Trabalho do Brasil identificaram irregularidades na contratação de 3.500 pessoas a trabalhar na Aldeia Olímpica, no Rio de Janeiro, informou hoje a tutela.

"Cerca de 3.500 trabalhadores encontrados em situação irregular atuam em bares e lanchonetes [estabelecimento de refeições rápidas]. Exerciam jornadas de trabalho sem controlo efetivo de duração e recebiam alimentação inadequada, como sanduíches e salgadinhos", lê-se numa nota do Ministério do Trabalho.

Em algumas instalações, segundo a tutela, "os trabalhadores atuavam sem assentos para descanso e em quiosques sem cobertura", sendo que "na hora do almoço, tinham que se sentar no chão no horário das refeições".

A ação de fiscalização foi realizada na segunda e terça-feira, em conjunto com o Ministério Público do Trabalho.

O Ministério do Trabalho informou também que "as empresas envolvidas foram convocadas para adequação de procedimentos e poderão ser autuadas".

As empresas terão que cumprir as medidas estabelecidas e as recomendações também serão encaminhadas ao Comité Organizador Rio2016.

Entre elas estão a garantia do acesso de trabalhadores a refeitório, disponibilização de água em local de fácil acesso, fornecimento de alimentação saudável e adequada no mínimo duas vezes por dia, para jornadas de oito horas e assentos para descanso em locais que possam ser utilizados por todos os trabalhadores durante as pausas.

No final do mês passado, más condições de trabalho em obras na Aldeia Olímpica levaram o Comité Rio2016 a ser multado em 315 mil reais (87,3 mil euros).

Segundo os fiscais, cerca de 630 empregados estariam a trabalhar sem contrato e, em alguns casos, com carga horária excessiva.

Os trabalhadores em causa tinham sido contratados com caráter de urgência para resolver problemas detetados na Aldeia Olímpica, como falta de limpeza e entupimento de canos, o que gerou reclamações de várias delegações olímpicas a poucos dias de o Rio de Janeiro acolher o maior evento desportivo do mundo.

Os Jogos Olímpicos começaram na sexta-feira e decorrem até dia 21 de agosto.

Lusa

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.