sicnot

Perfil

Rio 2016

Água verde na piscina de polo aquático à semelhança da de saltos

Matt Dunham/ AP

Alguma coisa está definitivamente a correr mal no Centro Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, onde se disputam as provas de saltos e de polo aquático. As duas piscinas descobertas parecem ter sido contaminadas por algas, que se multiplicam e alteram a cor da água. A explicação que foi avançada ontem não está, contudo, a ser aceite com unanimidade.

Na terça-feira foi a água da piscina de saltos que passou de azul a verde musgo, quarta-feira foi a vez da de polo aquático, que começou a ficar verde, embora num tom mais claro.

© Antonio Bronic / Reuters

Mas afinal o que realmente se passa com a água das piscinas do Centro Aquático Maria Lenk?

Mario Andrada, diretor de comunicação local do Rio 2016, diz que a causa está na alteração da alcalinidade da água.

"Nós esperamos que a água volte a ficar azul", refere Andrada, garantindo que "não há qualquer risco para os atletas, nem para qualquer outra pessoa".

© Antonio Bronic / Reuters

Contudo, a organização dos Jogos Olímpicos avançou ontem que a cor verde se deve à proliferação de algas, causada pelo calor e falta de vento.

A Federação Internacional de Natação - Fina aponta o dedo à organização e acusa-a de estar a falsear os factos, considerando que estarão em falta alguns dos produtos químicos usados no processo de tratamento de águas. A Fina não faz qualquer referência ao calor ou ao vento, mas garante também que as competições, bem como a saúde dos atletas, não correm riscos.

Prova de saltos masculina realizada esta quarta-feira, na segunda-feira os atletas ainda mergulharam em águas azuis.

Prova de saltos masculina realizada esta quarta-feira, na segunda-feira os atletas ainda mergulharam em águas azuis.

Matt Dunham/ AP

Entretanto, a situação insólita continua a alimentar comentários nas redes sociais, umas vezes mais sérios, outras num tom mais irónico.

  • Porque é que a água da piscina olímpica de saltos está verde?

    Rio 2016

    As teorias multiplicam-se mas ainda não há uma explicação oficial para o sucedido. A água da piscina olímpica de saltos no Centro Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, passou de azul cristalino a verde musgo de um momento para o outro e de uma forma misteriosa, em contraste com a piscina de pólo aquático, situada mesmo ao lado, que permanece com a cor habitual.

  • Os círculos vermelhos na pele de Phelps e de outros atletas olímpicos

    Rio 2016

    São vários os atletas olímpicos que têm exibido durante as provas manchas vermelhas na pele em forma de círculo. Um deles é Michael Phelps, o mais bem-sucedido atleta da história dos Jogos Olímpicos. Não são um género raro de tatuagem ou vestígios de uma noite mais animada na vila olímpica, mas sim um tipo de terapia que parece estar a ter cada vez mais seguidores, em particular nadadores e ginastas.

  • "Toda a transparência" para os "amigos portugueses"
    0:54
  • Turistas à volta da Lua em 2018
    1:21
  • Bastidores do sambódromo: um espétaculo à parte
    3:22

    Mundo

    Por detrás da alegria do desfile das escolas de samba, há a tensão e a adrenalina dos bastidores do sambódromo. A preparação antes da entrada na avenida é um espetáculo à parte como mostra a correspondente da SIC, no Rio de Janeiro, Ivani Flora

    Correspondente SIC

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06