sicnot

Perfil

Rio 2016

Sara Moreira nega que lesão vá afetar o seu rendimento na maratona

Sara Moreira assumiu esta sexta-feira que teve uma lesão que a impediu de treinar durante uma semana, mas rejeitou que a sua prestação na maratona dos Jogos Olímpicos Rio2016 possa ser condicionada por esse percalço.

"Existiu uma lesão, física, uma pequena inflamação na zona do osso, que me impediu durante uma semana de treinar normalmente. Neste momento, as coisas estão a fazer o percurso que tinham de fazer, tenho cumprido um plano de tratamento e as coisas têm corrido bem. Desde que cheguei, há cinco dias, que tenho treinado sem qualquer limitação, sinto-me bem", assegurou a recém-coroada campeã europeia da meia-maratona.

Sara Moreira argumentou que não é uma semana de paragem que a fará estar pior do que aquilo que estava inicialmente preparado.

"O ponto de situação é que me sinto bem, confiante, preparada física e psicologicamente para correr bem no domingo e é dessa forma que vou partir para a maratona. Não é uma semana que estive condicionada, nas 10 semanas que tive de preparação - e não foi completamente parada, porque fiz outro tipo de treino -, que me fará fazer correr de forma diferente no domingo", defendeu.

A menos de dois dias da competição, a maratonista sente-se bem e com as mesmas perspetivas que sempre teve para o Rio2016.

"Nos últimos Jogos Olímpicos, estive nos 10.000 metros e fui 14ª. Tudo o que venha acima disso é melhorar o meu resultado em Jogos. Como é óbvio, tenho de ser sincera, e assumi desde sempre, que o meu objetivo é um lugar entre as oito primeiras e é com esse objetivo que vou partir no domingo. Tudo o que venha acima disso é excelente, mas, da forma como as coisas correram, é o mínimo", apontou.

A atleta do Sporting contou que viajou para o Rio de Janeiro em maio passado para fazer o reconhecimento do percurso, que tem início e final no emblemático Sambódromo carioca.

"Houve algumas alterações devido a umas obras, mas nada de significativo. Em relação às condições, acho que vai estar muito calor no domingo. Eu preparei-me para isso, em Portugal também esteve muito calor nas últimas semanas. A humidade até está abaixo do que tínhamos previsto, o que acaba por ser melhor. Acredito que o calor vai fazer a diferença. Eu sinto-me bem no calor, mas nunca fiz uma maratona no verão e poderei sentir alguma dificuldade", admitiu.

Sara Moreira, de 30 anos, vai cumprir no Rio de Janeiro a sua terceira participação olímpica, depois de ter sido 22.ª nos 3.000 metros obstáculos em Pequim2008 e 14.ª nos 10.000 metros em Londres.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.