sicnot

Perfil

Rio 2016

Murray volta a conquistar título olímpico e diz que jogo foi um dos "mais duros"

© Marcos Brindicci / Reuters

O bicampeão olímpico de ténis Andy Murray admitiu hoje que o encontro frente ao argentino Juan Martín del Potro foi um dos "mais duros" que teve de disputar para conquistar um "título importante".

"Estou realmente feliz. Este foi um dos encontros mais difíceis que tive de jogar para ganhar um título importante. Foi muito duro física e emocionalmente", admitiu o primeiro tenista a revalidar o título de singulares masculinos em Jogos Olímpicos.

O escocês precisou de quatro horas e dois minutos para se impor pelos parciais de 7-5, 4-6, 6-2 e 7-5 ao 'carrasco' do sérvio Novak Djokovic, líder do 'ranking' mundial, do espanhol Rafael Nadal e do português João Sousa.

"Não tinha visto qualquer dos seus jogos anteriores até ao de sábado com Nadal. Hoje jogou extremamente bem, é assombroso como voltou depois de tudo o que passou com o pulso, uma e outra vez com o mesmo problema. É surpreendente que tenha voltado e que o tenha feito a este nível. Deve estar muito orgulhoso, pois não é algo fácil de fazer", elogiou.

Murray entende que Del Potro "definitivamente" pode voltar a estar entre os cinco melhores jogadores do mundo.

A troca de vaias entre as claques de ambos foi desvalorizada por Murray, que preferiu destacar "o grande ambiente", considerando que as bocas "não constituíram qualquer problema" para o decorrer do encontro.

"O público estava dividido de forma muito igual. Nos Grand Slam não é parecido, pois apoiam um jogador. Não é um ou outro. É bastante diferente", concluiu.

Murray tem agora como próxima meta vencer o Open dos Estados Unidos.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite