sicnot

Perfil

Rio 2016

Nelson Évora dá mérito a Carlos Calado e Naide Gomes por evolução do triplo salto

Nelson Évora atribuiu o mérito a Naide Gomes e a Carlos Calado pela evolução das disciplinas técnicas em Portugal, depois de o triplo salto luso ter conseguido três lugares entre os 10 primeiros nos Jogos Olímpicos Rio2016.

Pouco depois de ter terminado em sexto a final do triplo salto, imitando o feito de Patrícia Mamona na prova feminina, na qual Susana Costa foi nona, Nelson Évora disse que fica feliz se chamou alguém para o atletismo, mas deu o mérito a outros.

"Se calhar muitos vão dizer que foi o 'efeito Nelson', mas eu posso dizer que foi o efeito Carlos Calado, o efeito Naide Gomes, porque foram eles que vieram antes de mim, eles influenciaram-me, foram eles que mostraram o caminho a seguir, que deram os primeiros passos e acho que não podemos esquecer esses atletas que vieram antes nas disciplinas técnicas", disse.

Nelson Évora foi o primeiro português a chegar a uma final olímpica do triplo salto e o primeiro homem a conquistar o ouro em Mundiais (2007) e Jogos Olímpicos (2008) numa disciplina técnica.

"Se calhar fui o espelho, tive de beber deles. Se apareceram depois alguns depois do que eu fiz, fico muito grato, também é por isso que estamos aqui e é isso que nos faz evoluir, que nos faz ser líderes para um povo", afirmou.

Lusa

  • "Foi a minha medalha desta época"

    Rio 2016

    O atleta português Nelson Évora classificou esta terça-feira como a medalha da sua temporada o sexto lugar na final do triplo salto dos Jogos Olímpicos Rio2016, na qual foi o melhor europeu. "Foi a minha medalha desta época, sem dúvida. Depois de um ano com tantas dificuldades em encontrar bons saltos, consegui ter alguma consistência e arrisquei. Quem não arrisca não petisca, não foi uma prova em que conseguisse acertar nos últimos três ensaios, que foram nulos, mas eram saltos melhores. Faltou um pouco mais de consistência", assumiu.