sicnot

Perfil

Rio 2016

Canoísta Teresa Portela triste por eliminação, mas orgulhosa da prova

A canoísta portuguesa Teresa Portela disse esta quarta-feira estar triste por ter falhado a final do K1 500 metros dos Jogos Olímpicos Rio2016, mas garantiu estar orgulhosa da prova que fez.

© Murad Sezer / Reuters

"Foi uma prova muito dura, estava vento contra, o que torna ainda prova mais dura, mais longa. Era a prova mais importante, sabia que tinha uma meia-final muito difícil, em que só passavam duas, por isso, tentei ao máximo ir com elas, chegar ao segundo lugar, mas não deu. Não estou desiludida, estou triste por não ter passado, mas orgulhosa do que fiz, porque acreditei até ao fim, dei tudo, as outras foram melhores", referiu.

O vento de frente complicou a tarefa de Teresa Portela, que pela terceira vez falhou a final de K1 500, mas sentiu-se bem ao longo da prova.

A canoísta Teresa Portela falhou a final de K1 500 dos Jogos Olímpicos, após ter sido quarta na terceira meia-final, com 1.58,360 minutos, sendo relegada para a final B, que atribui os lugares entre o oitavo e o 16.º lugar.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.