sicnot

Perfil

Rio 2016

Daniela Cardoso bastante realizada com estreia nos 20 km marcha

A portuguesa Daniela Cardoso disse hoje sentir-se "bastante realizada" com a sua estreia nos Jogos Olímpicos, depois de terminar na 36.º posição os 20 km marcha do Rio 2016.

"Fiquei em 36.º, mas, na 'start list', estava com a 54.ª posição, portanto, sinto-me bastante realizada. Um objetivo da minha época era estar nos Jogos Olímpicos. Para mim, estar neste palco já é uma grande vitória", afirmou.

A portuguesa, de 24 anos, diz que chegar aos Jogos "foi muito difícil, apesar de ter tido uma época com muita evolução", apesar de ter sido "uma época muito dura e muito desgastante".

"Ter conseguido ficar nas 40 primeiras atletas deixa-me muito feliz e deixa-me com vontade de fazer mais e melhor e com o pensamento em 2020. Sinto que aqui é o meu lugar, sinto que pertenço a este mundo", afirmou.

Daniela Cardoso cumpriu os 20 quilómetros em 1:36.13 horas, a cerca de 2.30 minutos do seu recorde pessoal.

"Foi o bocadinho pior [do que a marca pessoal], porque começou um pouco lento. Para fazer melhor, tinha de começar um pouco melhor, mas como estava muito calor, preferi ter mais cautela e ir subindo na classificação", afirmou.

Lusa

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.