sicnot

Perfil

Rio 2016

Nadador americano doa 11.000 dólares ao Brasil em troca do passaporte

James Feigen, nadador dos EUA

© Albert Gea / Reuters

O advogado de um dos nadadores norte-americanos ainda retidos no Brasil, no âmbito do caso em que os atletas mentiram em relação a um assalto que não existiu, revelou hoje que o seu cliente irá fazer uma doação.

O nadador James Feigen poderá deixar o Brasil depois de pagar um donativo a uma instituição, na ordem dos 11.000 dólares (9.700 euros), de acordo com informação avançada pelo advogado à cadeia norte-americana NBC.

Já depois do Comité Olímpico dos Estados Unidos (USOC) ter pedido hoje desculpas públicas, o seu responsável, Scott Blackmun, disse que a polícia brasileira devolveu os passaportes dos nadadores Gunnar Bentz e Jack Conger e que eles deixaram o país.

"Os passaportes deles foram entregues e deixaram recentemente o Rio", referiu Blackmun.

O responsável disse ainda que um terceiro nadador, James Feigen, mudou o seu testemunho junto da polícia e fará um donativo a uma instituição por definir, recebendo em troca autorização para sair do Brasil.

"Depois de longa deliberação, foi alcançado um acordo. Ele fará uma doação de 35.000 reais (10.800 dólares) a uma instituição e o caso fica encerrado", especificou o advogado Breno Melaragno, representante legal de Feigen.

O quarto nadador envolvido nas falsas declarações, o medalhado Ryan Lochte, já tinha saído do Brasil quando o escândalo rebentou, face aos depoimentos contraditórios e ao recurso às imagens de vídeo vigilância que não corroboravam o depoimento dos atletas.

A investigação começou depois de o quarteto de nadadores ter dito que foi assaltado após deixar uma festa na Casa da França, na Lagoa, zona sul do Rio de Janeiro.

No caminho para o alojamento, de táxi, os atletas pararam num posto de gasolina para ir à casa de banho.

No local, um deles terá danificado uma porta e iniciado uma discussão com os funcionários e seguranças. Os funcionários disseram que os nadadores estavam alcoolizados e começaram a urinar no jardim perto da loja de conveniência do posto.

Confrontado com as conclusões da investigação policial, o USOC admitiu que os nadadores "cometeram atos de vandalismo".

Já hoje o USOC disse que "o comportamento destes atletas não é aceitável e muito menos representa os valores da seleção dos Estados Unidos, nem a conduta da maioria dos seus elementos", em alusão ao comportamento de Gunnar Bentz, Jack Conger, Ryan Lochte e James Feigen.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.