sicnot

Perfil

Rio 2016

Tiago Ferreira lamentou azar que o impediu de terminar a prova de XCO

IN\303\201CIO ROSA

Tiago Ferreira lamentou este domingo não ter podido concluir a sua estreia olímpica e concretizar os objetivos portugueses na prova de cross country olímpico (XCO) do Rio2016, mas recordou que regras são regras.

"São regras. Infelizmente não conseguimos completar a corrida na volta do vencedor. A regra não é nova, já sabemos que pode acontecer. Sabíamos que a corrida sem azares seria dura e complicada, tendo estes problemas torna-se quase impossível de acabar. É uma pista super rápida. Se perdermos dois, três minutos com um problema técnico, já sabemos que vai dificultar terminar ainda mais na volta do vencedor", explicou o corredor de BTT.

O português foi mandado encostar na quinta volta com base na regra que determina o afastamento dos corredores com um tempo de atraso superior em 80% ao do líder na primeira volta, depois de ter sido vítima de uma perda de pressão num pneu.

"Numa das zonas que estava mais escorregadia, uma trajetória mal feita fez com que perdesse pressão no pneu da frente. Creio que o pneu descolou ligeiramente e fez com que eu perdesse ar, não fiquei furado na totalidade, mas impediu-me de fazer as zonas técnicas e os saltos com aquele pneu, porque iria arriscar uma queda. O trocar de roda foi rápido, o problema foi fazer dois quilómetros da pista com o pneu praticamente vazio", explicou.

Sem ter conseguido completar a sua estreia olímpica, Tiago Ferreira assumiu que, no que depender dele, vai trabalhar para assegurar que haverá representação nacional no XCO em Tóquio2020.

"A competição é dura em todas as corridas, nesta em que estão os 50 melhores do mundo, sabemos que a corrida está muito mais selecionada, é mais rápida. Sabemos que toda a gente se prepara o melhor possível para estar bem aqui. Nós fizemos o mesmo, infelizmente não conseguimos ter o resultado que queríamos e cumprir os objetivos que tínhamos. Ninguém vem para aqui brincar para ficar nos 80%, nem para ser eliminado. Damos o nosso melhor. São dias maus, infelizmente faz parte do desporto e da nossa vida", lamentou.

O campeão mundial de maratonas quer agora continuar a trabalhar, "porque a vida não acaba aqui", e há muita temporada ainda pela frente.

Lusa

  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.