sicnot

Perfil

Rio 2016

Primeiro-ministro russo diz que decisão de excluir atletas paraolímpicos foi "cínica"

O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, rotulou esta terça-feira de "cínica" a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) de rejeitar o apelo dos atletas paraolímpicos russos, impedindo-os de participar nos Jogos do Rio21016.

"A exclusão dos nossos atletas paraolímpicos do Rio2016 é uma decisão cínica, motivada pelo desejo de afastar os principais rivais", escreveu Dmitry Medvedev na sua página na rede social Twitter.

Também o ministro russo dos Desportos, Vitali Mutko, considerou a rejeição pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) do apelo dos atletas paraolímpicos aos Jogos Rio2016 uma decisão "mais política do que jurídica".

"A decisão (do TAS) não emana do campo da lei. É mais política do que jurídica", considerou o ministro russo dos Desportos, Vitali Mutko, citado pela agência de notícias russa TASS, acrescentando que "não havia razão para a rejeição".

O TAS informou que não deu provimento ao recurso interposto a 15 de agosto pelo organismo paralímpico russo, confirmando, consequentemente, a decisão do Comité Paralímpico Internacional (IPC) de suspender a Rússia dos Jogos que se vão realizar no Rio de Janeiro, entre 7 a 18 de setembro.

O IPC tinha anunciado a 07 de agosto a suspensão do Comité Paralímpico Russo, na sequência da investigação de 'doping' e das conclusões do relatório McLaren, que revelou a existência de um sistema generalizado de 'doping' na Rússia com apoio estatal.

O TAS alegou "não ter encontrado qualquer evidência que contradiga os factos em função dos quais foi tomada a decisão do IPC" de assumir a suspensão global da Rússia, ao contrário do Comité Olímpico Internacional (COI), que optou por delegar essa decisão nas federações internacionais das várias modalidades.

O presidente do IPC, Philipe Craven, lamentou que "a sede de glória a qualquer custo da Rússia prejudicou gravemente a integridade e a imagem de todo o desporto", justificando a decisão de suspender todos os atletas russos com base na incapacidade do país cumprir os critérios do código mundial antidopagem.

A Rússia continua a negar as conclusões do relatório McLaren sobre a participação estatal num sistema organizado de 'doping' e, em particular, a intervenção no processo do próprio ministro dos Desportos, Vitaly Mutko.

Os Jogos Paralímpicos disputam-se desde 1948 e têm visto a sua dimensão e importância crescer nos últimos 20 anos, tendo contado na última edição, em Londres2012, com a participação de 4.300 atletas, em representação de 164 países.

Lusa

  • Os efeitos dos incêndios na natureza
    2:46

    País

    Cheias frequentes, erosão dos solos e contaminação dos rios e albufeiras são as previsões unânimes da comunidade científica para os próximos tempos, na sequência dos incêndios florestais. À SIC, o hidrobiólogo Adriano Bordalo Sá e o investigador de recursos florestais Rui Cortes alertam: é necessário começar a tratar da terra queimada o mais rapidamente possível.

  • Número de vítimas mortais dos incêndios sobe para 45

    País

    Uma pessoa que estava internada no Hospital da Prelada, Porto, na sequência dos incêndios do dia 15 nas regiões Centro e Norte, morreu hoje, anunciou a unidade hospitalar, subindo assim para 45 o número de vítimas mortais daqueles fogos.

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • Achado inédito encontrado na nau de Vasco da Gama naufragada em Omã

    Mundo

    Uma equipa de investigadores afirma ter encontrado, ao largo da costa de Omã, o mais antigo instrumento de navegação alguma vez descoberto. O achado arqueológico é um astrolábio e terá sido localizado no meio do que resta da nau Esmeralda, da frota de Vasco da Gama, naufragada no Oceano Índico em 1503.

    SIC

  • "Isto destrói famílias"
    0:46
  • Eurodeputados homenageiam vítimas dos fogos
    1:38

    País

    A União Europeia vai doar os 50 mil euros do prémio Princesa das Astúrias às populações afetadas pelos incêndios em Portugal e Espanha. A Comissão Europeia continua a avaliar o pedido ao Fundo Europeu de Solidariedade, mas o pedido deverá ainda ser atualizado para incluir os prejuízos causados pelos incêndios da semana passada.