sicnot

Perfil

Rio 2016

Equipa de boccia BC1-BC2 conquista bronze nos Paralímpicos

© Ueslei Marcelino / Reuters

A equipa de boccia BC1-BC2 conquistou esta segunda-feira a segunda medalha de bronze a Portugal nos Jogos Paralímpicos do Rio2016, ao derrotar a Argentina, por 6-2.

© Ueslei Marcelino / Reuters

A equipa composta por Abílio Valente, António Marques, Cristina Gonçalves e Fernando Ferreira acabou por "vingar" a derrota com Argentina, depois de na fase de grupos ter sido derrotada pela formação albiceleste por 7-1.

Esta é a segunda medalha conquistada por Portugal nos Jogos Rio2016, depois de Luís Gonçalves ter conseguido o bronze no atletismo, na prova dos 400 metros T12 (deficiência visual).

O boccia é uma modalidade exclusiva dos Jogos Paralímpicos, que consiste em lançar bolas tentando deixá-las o mais perto possível de uma bola alvo, e é destinada a atletas com deficiência motora - paralisia cerebral em cadeira de rodas ou doenças neuromusculares -, que pode ser disputada individualmente, em pares ou por equipas de três elementos, sem divisão por género.

Na modalidade, designado pelas iniciais BC, os atletas são divididos em quatro classes, numeradas de 1 a 4. As classes 1 e 2 são destinadas a atletas que jogam com a mão ou com o pé, a 3 agrupa os atletas que jogam com calhas, e a 4 os praticantes que sofrem de doenças neuromusculares.

Com Lusa

  • Bruno de Carvalho garante empenho do Sporting
    0:52

    New Articles

    Bruno de Carvalho diz que o Sporting continua empenhado apesar do momento que o clube atravessa. O presidente leonino discursou ao início da tarde no núcleo Leões da Madeira, no Funchal, onde o Sporting joga hoje com o Marítimo.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.