sicnot

Perfil

Rio 2016

Joana Calado quinta nos 100 m bruços com recorde nacional

A portuguesa Joana Calado terminou esta quarta-feira na quinta posição a final dos 100 metros bruços SB8 dos Jogos Paralímpicos Rio2016, batendo o recorde nacional, depois de ter feito a passagem aos 50 metros na terceira posição.

"A eliminatória da manhã correu bem, agora, à tarde, a tática era 'rasgar' nos primeiros 50 metros e depois dar tudo", disse a atleta no final da prova, que terminou com o tempo de 1.25,96 minutos, depois de ter feito 1.26,52, nas eliminatórias.

Joana Calado, de 24 anos, garantiu estar satisfeita com a prova, na qual melhorou o recorde de Portugal (1.25,99) - que já lhe pertencia -, lembrando que igualou o lugar conseguido há oito anos em Pequim, quando tinha apenas 16 anos.

"Dei tudo o que tinha para dar, infelizmente não deu para mais", afirmou a atleta do Sporting, explicando que desde de que voltou à alta competição, há menos de um ano, retirou 11 segundos à marca conseguida hoje, já que começou a "nadar na 'casa' de 1.36 minutos".

Joana Calado, que vive e estuda em Manchester, no Reino Unido, garantiu que quer pensar "numa coisa de cada vez" e que, para já, vai focar-se na conclusão da tese na área das ciências da computação.

"O objetivo agora é acabar a universidade e tratar de outros aspetos da minha vida", afirmou a nadadora, que não tem o antebraço direito, não querendo falar sobre uma possível presença em Tóquio2020.

Depois de há oito anos ter sido a 'benjamim' da comitiva portuguesa nos Jogos Paralímpicos Pequim2008, Joana Calado voltou a competir ao mais alto nível em maio deste ano nos campeonatos europeus de natação do Comité Paralímpico Internacional (IPC), disputados no Funchal, nos quais conseguiu mínimos para o Rio de Janeiro.

Durante os anos em que não competiu ao mais alto nível, Joana Calado nunca se desligou do desporto e, em Inglaterra, participou em algumas provas de masters e de triatlo e tirou o curso de treinadora de natação.

Na final dos 100 metros bruços SB8, a canadiana Katarina Roxon conquistou a medalha de ouro, com a marca de 1.19,44 minutos, enquanto a britânica Claire Cashmore conseguiu a prata (1.20,60), e a irlandesa Ellen Keane o bronze (1.23,07).

Lusa

  • Portugueses David Grachat e Mário Trindade nas finais das suas categorias

    Rio 2016

    O português David Grachat garantiu esta sexta-feira presença na final dos 400 metros S9, dos Jogos Paralímpicos Rio2016, distância na qual conquistou em maio uma medalha de bronze nos Campeonatos Europeus de natação adaptada. Já o atleta Mário Trindade, de 41 anos, garantiu presença na final dos 100 metros T52 (deficiência motora), dos Jogos Paralímpicos Rio2016, ao terminar em segundo a sua série.

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.