sicnot

Perfil

Rio 2016

Parlamento aprova voto de louvor à missão olímpica e paraolímpica portuguesa

A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira por unanimidade um voto de louvor às missões portuguesas aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016, "por terem honrado e dignificado o desporto português ao mais alto nível".

O voto, subscrito pelo presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e por todos os partidos, sublinha que "os atletas portugueses souberam ser uma vez mais fiéis aos valores da excelência, da amizade e do respeito, e também da coragem, da determinação, da inspiração e da igualdade, os valores que regem os movimentos olímpico e paralímpico".

"Para além do empenho e brio que todos os atletas colocaram nas suas prestações, merecem destaque as cinco medalhas de bronze e os trinta e cinco diplomas obtidos pelas missões nacionais", lê-se no voto.

O documento destaca a única medalha portuguesa nos Jogos Olímpicos, o bronze conquistado pela atleta Telma Monteiro, no judo (-57 kg), "merecendo uma justa palavra de reconhecimento e gratidão pela perseverança e garra que incutiu na sua prestação".

Nos Jogos Paralímpicos, é sublinhada a medalha de bronze nos 400 metros, classe T12 (deficientes visuais), de Luís Gonçalves, a medalha de bronze de Manuel Mendes na maratona T46, e o bronze de José Carlos Macedo, no boccia BC3.

O voto destaca ainda, em termos coletivos, o bronze conquistado pela equipa de boccia BC1-BC2, constituída por Abílio Valente, António Marques, Cristina Gonçalves e Fernando Ferreira, que alcançou a 90.ª medalha para Portugal em Jogos Paralímpicos, ao bater a Argentina por 6-2".

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras