sicnot

Perfil

Shimon Peres 1923-2016

Shimon Peres 1923-2016

Shimon Peres 1923-2016

Hamas aplaude morte do antigo PR israelita e apelida-o de criminoso

© Osman Orsal / Reuters

A organização islamita palestiniana Hamas, considerada um grupo terrorista pela União Europeia, aplaudiu hoje a morte do antigo presidente israelita Shimon Peres, apelidando-o de criminoso e referindo que "o povo palestiniano está feliz" com a sua morte.

"O povo palestiniano está feliz com a morte deste criminoso", declarou hoje um porta-voz do Hamas na Faixa de Gaza.

Para o Hamas, considerado um grupo terrorista não pela UE como também por Israel e pelos Estados Unidos, "Shimon Peres era um dos últimos fundadadores israelitas da ocupação".

"A sua morte marca o fim de uma era na história da ocupação israelita", declarou Sami Abu Zuhri à agência de notícias francesa France Presse.

A Autoridade Palestiniana reagiu, por intermédio do presidente Mahmud Abbas, que apelidou Shimon Peres de "corajoso parceiro pela paz".

No entanto, horas antes, uma antiga porta-voz da Autoridade Palestiniana, Diana Buttu, tinha colocado um post nas redes sociais com uma visão bem diferente.

"Peres era um criminoso de guerra sem remorsos. O revisionismo da história não vai funcionar", escreveu a antiga dirigente.

Considerado em várias partes do mundo como um elemento que contribuiu para a paz, muitos palestinianos olham para a história de Shimon Peres de forma muito diferente, acusando-o de ser uma figura central nas sucessivas guerras israelo-árabes e na política de ocupação dos territórios palestinianos.

Peres era também primeiro-ministro quando, em 1996, mais de 100 civis morreram na aldeia libanesa de Qana na sequência de bombardeamentos das forças israelitas. Os civis tinham procurado refúgio numa base das Nações Unidas.

O ex-presidente de Israel e Nobel da Paz Shimon Peres morreu hoje, por volta das 03:00 (01:00 em Lisboa).

Shimon Peres sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) a 13 de setembro e encontrava-se hospitalizado desde então.

Peres era o último sobrevivente da geração dos "pais fundadores" de Israel e foi um dos principais artesãos dos acordos de Oslo, assinados com os palestinianos em 1993, o que lhe valeu a atribuição do Nobel da Paz em 1994.

Shimon Peres ocupou quase todos os mais importantes cargos políticos em Israel - ministro de várias pastas em vários governos, primeiro-ministro interino, primeiro-ministro e presidente (2007-2014).

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida