sicnot

Perfil

Shimon Peres 1923-2016

Shimon Peres 1923-2016

Shimon Peres 1923-2016

"O meu pai amou Israel até ao último suspiro"

Dan Balilty/ AP

O filho do ex-Presidente israelita Shimon Peres afirmou hoje que o seu pai, que morreu esta madrugada aos 93 anos, "amou o povo de Israel até ao seu último suspiro".

"Não teve outro interesse que não o de servir o povo de Israel, tanto que acreditava e amou-o até ao último suspiro", disse Jemi Peres, ao ler um comunicado no hospital Shiva, da localidade de Tel Hashomer, perto de Telavive, onde hoje morreu o estadista.

O filho de Peres leu - em hebreu e em inglês - uma declaração em que realçou que o seu pai "fez parte da geração dos fundadores de Israel e serviu o Estado desde o dia da sua fundação até ao seu último dia" de vida.

"Despedimo-nos hoje, com grande pesar, do nosso querido pai, do nosso líder de família, o nono Presidente do Estado de Israel, Shimon Peres", disse.

Jemi Peres passou ainda em breve revista a longa carreira política do pai, antes de agradecer à equipa médica que acompanhou Shimon Peres e as manifestações de apoio e carinho oriundas de Israel e do resto do mundo.

"O meu pai costumava dizer que só és tão grande como a causa a que serves", recordou.

Shimon Peres morreu hoje, aos 93 anos, por volta das 03:00 (01:00 em Lisboa), aproximadamente duas semanas depois de ter sofrido um acidente vascular cerebral (AVC) que o deixou hospitalizado.

Peres era o último sobrevivente da geração dos "pais fundadores" de Israel e foi um dos principais artesãos dos acordos de Oslo, assinados com os palestinianos em 1990, o que lhe valeu a atribuição do Nobel da Paz em 1994.

o estadista ocupou quase todos os mais importantes cargos políticos em Israel: foi ministro de várias pastas em diversos governos, primeiro-ministro interino, primeiro-ministro e Presidente (2007-2014).

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão