sicnot

Perfil

Shimon Peres 1923-2016

Shimon Peres 1923-2016

Shimon Peres 1923-2016

Dezenas de líderes mundiais nas cerimónias fúnebres de Shimon Peres

© Ammar Awad / Reuters

Os restos mortais do ex-presidente israelita Shimon Peres foram transportados ao início do dia do parlamento para o cemitério do Monte Herzl, em Jerusalém, onde vão ser sepultados num funeral que junta 34 chefes de Estado e de Governo.

O carro fúnebre escoltado por uma coluna de veículos policiais percorreu as ruas de Jerusalém até chegar ao seu destino final, situado no sudoeste de Jerusalém, onde se encontram enterrados os "grandes da nação".

O dispositivo de segurança em torno das exéquias do antigo chefe de Estado israelita, é considerado o maior da história do país, envolvendo só em Jerusalém o destacamento de 8.000 agentes em diversos pontos da cidade.

Importantes vias da cidade que rodeiam tanto o cemitério como os hotéis e pontos nevrálgicos por onde vão passar as comitivas de dirigentes internacionais permanecerão cortadas até ao encerramento das cerimónias.

Na quinta-feira, mais de 50 mil israelitas prestaram homenagem a Shimon Peres, cujo caixão esteve exposto no parlamento, coberto por uma bandeira nacional e vigiado por um guarda de honra.

O Centro Peres para a Paz, que coordena o funeral com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, confirmou a chegada de 90 delegações internacionais.

Vão marcar presença nomeadamente o rei Felipe VI de Espanha, os presidentes do México, França, Alemanha, respetivamente, Enrique Peña Nieto, Joachim Gauck, François Hollande, o primeiro-ministro italiano Matteo Renzi, o príncipe Carlos de Inglaterra e o Grão-duque de Luxemburgo Henrique.

Também o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que irá encerrar com um discurso a cerimónia fúnebre, na qual vão também intervir o antigo Presidente norte-americano Bill Clinton, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, o chefe de Estado israelita, Reuven Rivlin, e o escritor israelita Amos Oz.

O presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abas, também deverá estar entre os que vão assistir ao último adeus a Shimon Peres.

Portugal estará representado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

O ex-presidente de Israel e Nobel da Paz Shimon Peres morreu na quarta-feira, depois de ter sofrido um acidente vascular cerebral (AVC) a 13 de setembro que o deixou hospitalizado desde então.

Peres era o último sobrevivente da geração dos "pais fundadores" de Israel e foi um dos principais artesãos dos acordos de Oslo, assinados com os palestinianos em 1993, o que lhe valeu a atribuição do Nobel da Paz em 1994.

Shimon Peres ocupou quase todos os mais importantes cargos políticos em Israel - ministro de várias pastas em vários governos, primeiro-ministro interino, primeiro-ministro e presidente (2007-2014).

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.