sicnot

Perfil

Sismo em Itália

Sismo em Itália faz dezenas de mortos

Em atualização

© Remo Casilli / Reuters

As autoridades continuam à procura de sobreviventes nos escombros. Vários edifícios colapsaram.

Última atualização 12.59

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, prometeu hoje todos os esforços para "não deixar ninguém sozinho".

Renzi convocou a imprensa para a sede do governo para anunciar que vai visitar esta tarde as zonas afetadas e para agradecer a todos os italianos que estão a colaborar nos trabalhos de resgate.

"Quero agradecer a todos, em nome do Governo, àqueles que escavaram com as próprias mãos, aos que trataram das comunicações, quero agradecer a todos os que mostraram como é importante o trabalho voluntário e a proteção civil", disse.

"Não deixaremos ninguém sozinho, nenhuma família. Temos de trabalhar", disse Renzi, prometendo que nenhuma zona afetada será deixada para trás.

Já o Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou hoje uma mensagem de condolências ao seu homólogo italiano, Sérgio Mattarella, e o primeiro-ministro, António Costa, expressou hoje solidariedade e disponibilidade para ajudar Itália.

Também Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, enviou hoje de manhã uma mensagem de solidariedade à sua homóloga italiana.

Há dezenas de mortos e desaparecidos na sequência do sismo de 6,2 de magnitude na escala de Richter, que abalou o centro de Itália, informou a Proteção Civil italiana.

O terramoto ocorreu por volta das 03.36, 02:36 em Lisboa, numa cidade da província de Perúgia.

As cidades mais afetadas são Accumoli e Amatrice, a cerca de 80 quilómetros de Roma, que estão praticamente destruídas.
A Proteção Civil fala no colapso de muitos edifícios e na possibilidade de haver várias pessoas desaparecidas nos escombros.

O epicentro foi a dez quilómetros de profundidade. O abalo também foi sentido em Roma e foi seguido de várias réplicas, as autoridades contabilizaram 60 nas quatro horas que se seguiram ao sismo inicial.

O Governo está em contacto com a Proteção Civil para acompanhar a evolução da situação.
Os médios italianos e a Proteção Civil têm comparado este sismo ao último que se sentiu no país, em 2009. Nessa altura, o terramoto de Áquila matou mais de trezentas pessoas.

O Governo português já avançou que, até ao momento, não há registo de vítimas portuguesas.

  • Carro do suspeito de rapto de Maelys fotografado por radar a alta velocidade
    1:16

    Mundo

    Praticamente um mês depois do desaparecimento de Maelys de Araújo, as autoridades francesas continuam a fazer buscas para tentar encontrar a menina lusodescendetnte de 9 anos. Entretanto, um jornal francês revelou que o carro do homem suspeito de rapto terá sido fotografado, por um radar, a alta velocidade na noite do desparecimento.

  • 950 militares cercam a Rocinha, no Rio de Janeiro
    2:36
  • Terra volta a termer no México

    Mundo

    Um sismo de magnitude 6,2, na escala de Richter, foi registado às 05h30, hora local, 23h30, em Lisboa. Até ao momento não há registo de vítimas ou danos materiais.

  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04

    Mundo

    O Presidente francês volta hoje a ser alvo de manifestações contra a reforma laboral. Os protestos foram organizados por Jean Luc Melenchon, o candidato da extrema-esquerda que concorreu contra Macron.

  • Icebergue com 5.800 quilómetros quadrados está a deslocar-se na Antártida

    Mundo

    Um icebergue gigante está a deslocar-se na Antártida em direção ao mar de Weddell segundo as imagens de satélite reveladas. Trata-se do A68, um icebergue quatro vezes maior que a cidade de Londres. Com cerca de 5.800 quilómetros quadrados e triliões de toneladas, A68 é um dos maiores icebergues conhecidos.