sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Bruxelas coordena ajuda ao Nepal disponibilizada por 14 países da UE

Catorze Estados-membros da União Europeia (UE) ofereceram ajuda às vítimas do sismo que causou pelo menos 3.700 mortos no Nepal, no sábado, disse hoje a Comissão Europeia, que coordena o auxílio ao país.

© Athit Perawongmetha / Reuters

"Estamos a coordenar a ajuda dos Estados-membros e são já 14 os países que disponibilizaram ajuda" ao Nepal, seja em meios de socorro, seja material, disse uma porta-voz da 'Comissão Juncker' Catherine Ray.

Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Itália, Luxemburgo, Polónia e Reino Unido são os países do bloco europeu que vão enviar ajuda e aos quais acresce ainda a Noruega.

"Estamos a fazer os possíveis para que a ajuda chegue o mais cedo possível", acrescentou a porta-voz, na conferência de imprensa diária da Comissão Europeia.

As ajudas nacionais somam-se a uma verba de três milhões de euros que Bruxelas disponibilizou no domingo e ao envio de equipas de peritos, tendo sido acionado o Mecanismo Europeu de Proteção Civil numa primeira resposta à tragédia.

"Mobilizei todos os nossos meios de resposta de emergência para ajudar os sobreviventes e as autoridades", disse o comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianides, sublinhando que as maiores necessidades são de equipas médicas e material de socorro.

A ajuda enviada por Bruxelas destina-se a fazer chegar às zonas mais afetadas bens de primeira necessidade como água potável, abrigos de emergência e telecomunicações.

O número oficial de mortos na sequência do forte sismo que atingiu no sábado o Nepal supera os 3.700, segundo um novo balanço de Katmandu.

O Ministério do Interior nepalês indicou que o número oficial de mortos situa-se neste momento nos 3.723, mantendo-se sem alterações o balanço dos feridos: 6.535.

O sismo, de magnitude 7,8 na escala de Richter, foi registado no sábado e teve o epicentro a cerca de 80 quilómetros da capital nepalesa de Katmandu. O abalo foi sentido noutros países, como Índia, Bangladesh e China, e provocou avalanchas nos Himalaias. Fortes réplicas foram sentidas durante o dia de domingo.



Lusa
  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55

    Football Leaks

    Com o escândalo dos agentes de futebol a dar que falar, o Expresso revela este sábado os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa. O nome da empresa de que é administrador, a Energy Soccer, surge na investigação em transferências de jogadores que envolvem o Futebol Clube do Porto num conflito de interesses.

  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10