sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Estimativas da ONU apontam para 6,6 milhões de afetados pelo sismo no Nepal

Cerca de 6,6 milhões de pessoas que vivem em 30 distritos foram afetadas pelo forte sismo, que sacudiu, este sábado, o Nepal, causando pelo menos 1.800 mortos, segundo estimativas divulgadas hoje pela ONU.

© Navesh Chitrakar / Reuters

Em comunicado, o coordenador do gabinete das Nações Unidas para o Nepal, Jamie McGoldrick, indicou ter-se reunido com representantes do Governo nepalês para oferecer assistência e discutir as necessidades da resposta à catástrofe.

"Estamos prontos para ajudar o Governo do Nepal a responder a esta terrível tragédia", disse o coordenador da ONU em Katmandu, acrescentando que "serão envidados todos os esforços para assistir aqueles que precisam de ajuda".

Um terramoto de magnitude 7,8 na escala de Richter, com epicentro localizado cerca de 80 quilómetros da capital, destruiu inúmeros edifícios e monumentos históricos e foi sentido também noutros países da região, como Índia e China, onde também deixou vítimas.

O mais recente balanço divulgado hoje pelas autoridades informa de 1.896 mortes, 723 das quais registadas em Katmandu.

Uma equipa das Nações Unidas chegou, esta manhã, à capital para ajudar a identificar as necessidades mais imediatas dos afetados, indicou o gabinete da ONU.

"É essencial que ajamos da forma mais rápida e eficaz possível", disse o responsável, salientando ser "preciso garantir que não se perdem mais vidas e priorizar as necessidades dos mais vulneráveis", na mesma nota citada pela agência Xinhua.

  • Governo do Nepal aceitou ajuda humanitária internacional
    1:47

    Sismo no Nepal

    O Nepal declarou o estado de emergência e apelou à ajuda internacional. O maior terramoto dos últimos oitenta anos, com magnitude de 7,9, provocou mais de mil mortos e destruiu o centro histórico da capital Kathmandu. O sismo provocou ainda avalanchas no Everest e vítimas no Tibete e na Índia.

  • Nepal volta a tremer, novo balanço aponta para mais de 2.000 mortos

    Sismo no Nepal

    O último balanço das autoridades dá conta de mais de 2 mil mortos. O sismo de ontem é o maior dos últimos 80 anos. Provocou ainda avalanchas no Evereste e vítimas no Tibete e na Índia.Uma violenta réplica de magnitude 6,7 na escala de Richter abalou hoje o Nepal, um dia depois de um sismo devastador ter atingido o país e causado mais de 2.000 mortes, assim como na China e Índia, anunciou o Instituto Norte-Americano de Geofísica (USGS).

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".