sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Pelo menos 21 portugueses identificados no Nepal, sete deixaram o país

O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, disse hoje à agência Lusa que estavam pelo menos 21 portugueses no Nepal na altura em que ocorreu o sismo, sendo que sete pessoas já abandonaram o país.

YONHAP/ EPA

"Neste momento, são vinte e um portugueses" que foram identificados no Nepal, disse José Cesário.

De acordo com o secretário de Estado, "há sete que já saíram do país, alguns estão em via de sair e há outros que pretendem ficar".

José Cesário disse que "há pessoas que ainda estão a estudar a forma de deixar o país".

"É uma contabilidade que nós não sabemos quando é que vai acabar. Nenhum destes cidadãos está registado em lado nenhum. Estamos a aguardar", afirmou.

"Estamos a tentar contactar todos os portugueses pelas vias possíveis. Estamos a tentar perceber se eles têm documentos. Se têm forma de sair e, em casos extremos, vamos apoiar a sua saída do país", sublinhou.

O sismo, de magnitude 7,8 na escala de Richter, foi registado no sábado e teve o epicentro a cerca de 80 quilómetros de Katmandu, e o número de mortos já ultrapassa os quatro mil, de acordo com fontes oficiais do Nepal e de países vizinhos.

O abalo foi sentido noutros países, como Índia, Bangladesh e China, e provocou avalanchas nos Himalaias.

O sismo, de magnitude 7,8 na escala de Richter, foi registado no sábado e teve o epicentro a cerca de 80 quilómetros de Katmandu, e o número de mortos já ultrapassa os quatro mil, de acordo com fontes oficiais do Nepal e de países vizinhos.

O abalo foi sentido noutros países, como Índia, Bangladesh e China, e provocou avalanchas nos Himalaias.

O secretário de Estado das Comunidades disse que todos os portugueses estão bem, não havendo notícia de feridos.

Luís Almeida, um dos portugueses que estão nos Himalaias há uma semana numa expedição, disse que "estão todos bem", apesar das dificuldades causadas pelo sismo no Nepal.

Numa mensagem escrita, enviada na segunda-feira à agência Lusa, Luís Almeida, que está a participar numa expedição organizada pela Espaços Naturais às montanhas dos Himalaias, garantiu que os portugueses "estão todos bem".

No Portal das Comunidades Portuguesas (http://www.portaldascomunidades.mne.pt/pt/conselhos-aos-viajantes), os cidadãos podem obter informações úteis antes de viajar para o estrangeiro, nomeadamente como realizar o seu registo de viagem junto das autoridades portuguesas (Registo ao Viajante - gec@mne.pt), o que facilita o contacto em momentos de emergência.


Lusa
  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.