sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Pelo menos 21 portugueses identificados no Nepal, sete deixaram o país

O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, disse hoje à agência Lusa que estavam pelo menos 21 portugueses no Nepal na altura em que ocorreu o sismo, sendo que sete pessoas já abandonaram o país.

YONHAP/ EPA

"Neste momento, são vinte e um portugueses" que foram identificados no Nepal, disse José Cesário.

De acordo com o secretário de Estado, "há sete que já saíram do país, alguns estão em via de sair e há outros que pretendem ficar".

José Cesário disse que "há pessoas que ainda estão a estudar a forma de deixar o país".

"É uma contabilidade que nós não sabemos quando é que vai acabar. Nenhum destes cidadãos está registado em lado nenhum. Estamos a aguardar", afirmou.

"Estamos a tentar contactar todos os portugueses pelas vias possíveis. Estamos a tentar perceber se eles têm documentos. Se têm forma de sair e, em casos extremos, vamos apoiar a sua saída do país", sublinhou.

O sismo, de magnitude 7,8 na escala de Richter, foi registado no sábado e teve o epicentro a cerca de 80 quilómetros de Katmandu, e o número de mortos já ultrapassa os quatro mil, de acordo com fontes oficiais do Nepal e de países vizinhos.

O abalo foi sentido noutros países, como Índia, Bangladesh e China, e provocou avalanchas nos Himalaias.

O sismo, de magnitude 7,8 na escala de Richter, foi registado no sábado e teve o epicentro a cerca de 80 quilómetros de Katmandu, e o número de mortos já ultrapassa os quatro mil, de acordo com fontes oficiais do Nepal e de países vizinhos.

O abalo foi sentido noutros países, como Índia, Bangladesh e China, e provocou avalanchas nos Himalaias.

O secretário de Estado das Comunidades disse que todos os portugueses estão bem, não havendo notícia de feridos.

Luís Almeida, um dos portugueses que estão nos Himalaias há uma semana numa expedição, disse que "estão todos bem", apesar das dificuldades causadas pelo sismo no Nepal.

Numa mensagem escrita, enviada na segunda-feira à agência Lusa, Luís Almeida, que está a participar numa expedição organizada pela Espaços Naturais às montanhas dos Himalaias, garantiu que os portugueses "estão todos bem".

No Portal das Comunidades Portuguesas (http://www.portaldascomunidades.mne.pt/pt/conselhos-aos-viajantes), os cidadãos podem obter informações úteis antes de viajar para o estrangeiro, nomeadamente como realizar o seu registo de viagem junto das autoridades portuguesas (Registo ao Viajante - gec@mne.pt), o que facilita o contacto em momentos de emergência.


Lusa
  • Centro comercial em Manchester evacuado

    Mundo

    Um centro comercial foi evacuado esta manhã, no centro de Manchester. Testemunhas dizem ter ouvido um "grande estrondo". O incidente acontece horas depois do ataque na Manchester Arena, no final da atuação da cantora Ariana Grande, no qual morreram pelo menos 22 pessoas. O espaço comercial em Manchester foi entretanto reaberto. A polícia começou a retirar o cordão de segurança, pouco tempo depois de ser dado o alerta. Uma pessoa foi detida.

  • Dois em cada três idosos em Portugal são sedentários

    País

    É a camada da população mais inativa e com comportamentos que revelam um estilo de vida menos saudável, segundo um estudo divulgado hoje, que analisou os dados de mais de 10.600 portugueses representativos da população, entre os quais mais de 2.300 pessoas com mais de 65 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.