sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

ONU lança apelo de 44,8 milhões para ajudar crianças no Nepal

A ONU lançou hoje um apelo de 44,8 milhões de euros para auxílio humanitário no Nepal, elevando para 1,7 milhões o número de crianças que necessitam de ajuda urgente, na sequência do terramoto de sábado passado. 

reuters

 O terramoto de magnitude 7,8 na escala de Richter, ocorrido no sábado, matou 5.000 pessoas e provocou ferimentos a mais de 10.000 pessoas, destruindo numerosos edifícios históricos e atingiu as infraestruturas básicas do Nepal, referiu hoje o Fundo das Nações para a Infância (UNICEF) em comunicado de imprensa.

Citado na nota, o representante da UNICEF no Nepal, Tomoo Hozumi, disse que 80% das unidades sanitárias em cinco distritos mais afetados foram amplamente danificadas e que 274 das 323 escolas avaliadas em 16 distritos foram parcial ou totalmente danificadas.

Tomoo Hozumi referiu ser necessário encontrar espaços de aprendizagem temporários para permitir as crianças estabelecerem uma rotina escolar, devido ao terremoto que "provocou desespero" em milhares de crianças.

"A vida de muitas crianças ficou profundamente dilacerada e elas estão desesperadas" em busca de apoio para ter acesso à água potável, abrigo e saneamento, disse Tomoo Hozumi.

O responsável pela agência da ONU alertou para risco de propagação de doenças relacionadas com a falta de água potável no Nepal, onde se estima que apenas uma em cada cinco pessoas tem acesso ao precioso líquido.

"Muitas famílias estão a lutar simplesmente para se proteger do sol e da chuva", disse Tomoo Hozumi, admitindo que, nos próximos dias, a contagem dos novos dados poderão permitir apurar "a plena dimensão da catástrofe".

De acordo com o último balanço do Ministério do Interior nepalês, o sismo, de magnitude 7,8 na escala de Richter, causou 5.057 mortos, 10.915 feridos e mais de 450 mil deslocados internos. 

O terramoto de sábado foi o de maior magnitude registado no Nepal nas últimas oito décadas. 

Lusa

  • Nepalês ontem resgatado com vida conta que já tinha perdido a esperança
    0:42

    Sismo no Nepal

    Quase quatro dias depois do sismo que abalou o Nepal, um jovem foi ontem resgatado com vida debaixo dos escombros de um edifício. Rishi Khanal, de 28 anos, foi salvo por uma equipa francesa e pela polícia nepalesa. O jovem nepalês tinha acabado de almoçar no hotel onde trabalhava e subido até ao 2º andar do edifício, agora em ruínas, quando a terra começou a tremer. Ficou com uma perna presa debaixo de uma viga. Os trabalhos prolongaram-se durante 10 horas para conseguir cortar a viga. Rishi foi depois transportado para o hospital, onde apesar do esforço dos médicos, terá que sofrer uma amputação. O sobrevivente contou aos jornalistas que conseguiu sobreviver ao beber a própria urina e que chegou a perder a esperança.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combnate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.