sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal destruiu 668 escolas e causou danos em outras 2.228

 O Governo do Nepal informou que o terramoto que devastou o país há dez dias destruiu 668 e pediu aos especialistas que certifiquem se as outras 2.228 que sofreram danos são seguras antes de serem retomadas as aulas.

© Athit Perawongmetha / Reuters

O Departamento de Educação nepalês assegurou, em comunicado, que os estabelecimentos de ensino de 36 distritos do país - de um total de 75 - foram afetados pelo sismo, indica o jornal Kantipur.

"Dado que as edificações parcialmente destruídas podem representar um risco para os estudantes, a administração das escolas localizadas nos distritos afetados receberam instruções para realizarem um estudo dos danos antes de retomarem as aulas" no próximo dia 14, disse a diretora da Educação, Dev Kumari Guragain.

A organização não-governamental Teach for Nepal trabalha em Sindhupalchowk, o distrito mais afetado pelo forte terramoto, onde 90% das infraestruturas ficaram destruídas ou gravemente danificadas, segundo estimativas das Nações Unidas, deu conta das dificuldades que se sentem na zona.

"Entre 80 e 90% das casas das comunidades com as quais trabalhamos ficaram reduzidas a escombros", disse Sweta Baniya, porta-voz da organização, em declarações à agência Efe.

"Os professores nessa zona estão desesperados, sem saber quando poderão voltar a ensinar. Como é que vamos dizer às crianças para retomarem os estudos quando perderam familiares, a sua casa e os seus livros?", questionou a mesma responsável.

O sismo de magnitude 7,8 que sacudiu o Nepal a 25 de abril último causou, segundo o mais recente balanço oficial, 7.365 mortos e 14.355 feridos.


Lusa
  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.