sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

ONU descentraliza distribuição de ajuda para descongestionar Katmandu

As Nações Unidas abriram seis centros logísticos no Nepal para descentralizar a ajuda que chega ao país através do aeroporto de Katmandu, que se encontra completamente congestionado, disse hoje fonte da ONU.

© Navesh Chitrakar / Reuters

O porta-voz do Departamento de Coordenação de Assuntos Humanitários, Leszek Barczak, afirmou, em declarações à agência Efe, que dispõe já de equipas no terreno e que mais ajuda tem estado a chegar ao Nepal por terra a partir da vizinha Índia.


"Temos 25 camiões com destino a diferentes pontos", disse o mesmo responsável, indicando que os centros logísticos se localizam, além de Katmandu, em Gorkha, Chautara, Birgunj, Bharatpur, Deurali e Dhulijel.


O congestionamento do aeroporto da capital, que só tem capacidade para receber nove aterragens em simultâneo, tem figurado com um dos principais problemas relacionados com a entrega da ajuda ao país.


As autoridades nepalesas elevaram hoje para 7.652 o número de mortos na sequência do forte sismo do passado dia 25 de abril, estimando em 16.390 o número de feridos. 


Dados oficiais anteriormente divulgados apontavam também para a existência de um universo de 2,8 milhões de deslocados internos. 


O terramoto de 7,8 na escala de Richter foi o mais mortífero registado no Nepal em 80 anos e o pior da década a assolar a região desde um sismo ocorrido na zona de Cachemira em 2005, que fez mais de 84 mil mortos.



Lusa

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.