sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Recuperados 20 corpos de vítimas do sismo de abril no Nepal

Os corpos de 20 pessoas que morreram no terramoto do Nepal, em abril passado, foram recuperados na zona de Langtang, enquanto as autoridades sublinham que ainda há 39 estrangeiros desaparecidos, informou esta segunda-feira o Ministério do Interior nepalês.

Cerca de 200 pessoas, das quais 100 estrangeiras, ficaram soterradas na zona de Langtang, debaixo de rocha, gelo e barro que se produziu na sequência do terramoto, em 25 de abril passado. (Arquivo)

Cerca de 200 pessoas, das quais 100 estrangeiras, ficaram soterradas na zona de Langtang, debaixo de rocha, gelo e barro que se produziu na sequência do terramoto, em 25 de abril passado. (Arquivo)

© Navesh Chitrakar / Reuters

"Os cadáveres não apresentam condições para identificação, tudo o que podemos dizer neste momento é que recuperámos 20 corpos que foram varridos depois do terramoto", declarou à agência espanhola Efe o porta-voz do ministério, Laxmi Prasad Dhakal, especificando que os restos mortais foram recuperados há "uns dias".

Cerca de 200 pessoas, das quais 100 estrangeiras, ficaram soterradas na zona de Langtang, debaixo de rocha, gelo e barro que se produziu na sequência do terramoto, em 25 de abril passado.

Ainda continuam desaparecidas 159 pessoas, 39 das quais estrangeiras, que se encontravam, fundamentalmente, no campo base do Evereste e na área de Langtang.

Laxmi Dhakal indicou que três corpos já foram enviados para Katmandu e os outros 17 chegarão na terça-feira para serem submetidos a testes de ADN.

Shiva Ram Gelal, chefe de distrito de Rasuwa, onde se encontra Langtang, disse à Efe que cidadãos da zona reclamaram os corpos recuperados, assegurando que pertencem a familiares.

"De qualquer forma decidimos enviar os restos mortais a Katmandu para submetê-los a provas de ADN e assegurarmo-nos da sua identidade", afirmou Shiva Gelal.

O porta-voz da polícia do Nepal, Kamal Singh Bam, declarou que ainda estão a tentar encontrar pessoas desaparecidas, inclusive através das redes sociais.

"Alguns estrangeiros voltaram a casa por sua conta e contactaram-nos através das redes sociais, pelo que estamos a usar estas plataformas para encontrar informação", disse Kamal Bam.

A maior parte dos estrangeiros desaparecidos são dos Estados Unidos, Bélgica, Canadá, França e China, além de quatro espanhóis com quem se perdeu o contacto em Langtang.

De acordo com dados oficiais, o terramoto de abril e as réplicas posteriores, duas delas acima dos 7 na escala de Richter, provocaram 8.898 mortos e 22.309 feridos.

Além disso, 602.257 casas ficaram completamente destruídas e outras 285.099 sofreram algum tipo de danos.

Lusa

  • "Espero que num prazo muito breve seja tudo esclarecido"
    1:34

    País

    O ministro do Trabalho e da Segurança Social disse hoje que é preciso aguardar pelo resultado da inspeção que está a ser feita às contas da associação Raríssimas. Vieira da Silva espera que tudo seja esclarecido o mais rapidamente possível.

  • As contradições do (ainda) secretário de Estado da Saúde
    1:58

    País

    Antes do pedido de demissão, o secretário de Estado da Saúde foi, na tarde de terça-feira, confrontado com uma série de novos documentos pela reportagem da TVI. Manuel Delgado é confrontado com uma série de acusações e entra, várias vezes, em contradição.

  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.