sicnot

Perfil

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Sismo no Nepal

Recuperados 20 corpos de vítimas do sismo de abril no Nepal

Os corpos de 20 pessoas que morreram no terramoto do Nepal, em abril passado, foram recuperados na zona de Langtang, enquanto as autoridades sublinham que ainda há 39 estrangeiros desaparecidos, informou esta segunda-feira o Ministério do Interior nepalês.

Cerca de 200 pessoas, das quais 100 estrangeiras, ficaram soterradas na zona de Langtang, debaixo de rocha, gelo e barro que se produziu na sequência do terramoto, em 25 de abril passado. (Arquivo)

Cerca de 200 pessoas, das quais 100 estrangeiras, ficaram soterradas na zona de Langtang, debaixo de rocha, gelo e barro que se produziu na sequência do terramoto, em 25 de abril passado. (Arquivo)

© Navesh Chitrakar / Reuters

"Os cadáveres não apresentam condições para identificação, tudo o que podemos dizer neste momento é que recuperámos 20 corpos que foram varridos depois do terramoto", declarou à agência espanhola Efe o porta-voz do ministério, Laxmi Prasad Dhakal, especificando que os restos mortais foram recuperados há "uns dias".

Cerca de 200 pessoas, das quais 100 estrangeiras, ficaram soterradas na zona de Langtang, debaixo de rocha, gelo e barro que se produziu na sequência do terramoto, em 25 de abril passado.

Ainda continuam desaparecidas 159 pessoas, 39 das quais estrangeiras, que se encontravam, fundamentalmente, no campo base do Evereste e na área de Langtang.

Laxmi Dhakal indicou que três corpos já foram enviados para Katmandu e os outros 17 chegarão na terça-feira para serem submetidos a testes de ADN.

Shiva Ram Gelal, chefe de distrito de Rasuwa, onde se encontra Langtang, disse à Efe que cidadãos da zona reclamaram os corpos recuperados, assegurando que pertencem a familiares.

"De qualquer forma decidimos enviar os restos mortais a Katmandu para submetê-los a provas de ADN e assegurarmo-nos da sua identidade", afirmou Shiva Gelal.

O porta-voz da polícia do Nepal, Kamal Singh Bam, declarou que ainda estão a tentar encontrar pessoas desaparecidas, inclusive através das redes sociais.

"Alguns estrangeiros voltaram a casa por sua conta e contactaram-nos através das redes sociais, pelo que estamos a usar estas plataformas para encontrar informação", disse Kamal Bam.

A maior parte dos estrangeiros desaparecidos são dos Estados Unidos, Bélgica, Canadá, França e China, além de quatro espanhóis com quem se perdeu o contacto em Langtang.

De acordo com dados oficiais, o terramoto de abril e as réplicas posteriores, duas delas acima dos 7 na escala de Richter, provocaram 8.898 mortos e 22.309 feridos.

Além disso, 602.257 casas ficaram completamente destruídas e outras 285.099 sofreram algum tipo de danos.

Lusa

  • Sismo registado esta manhã na região de Lisboa

    País

    Um sismo foi sentido esta manhã na região da Grande Lisboa. O abalo foi registado às 7h44, com epicentro em Sobral de Monte Agraço e magnitude de 4.3, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

    Em atualização

  • "É terrorismo, politiquice e interesse económico"
    0:45

    País

    A situação em Mação, no distrito de Santarém, continua muito complicada para os operacionais e para as populações que tentam combater as chamas. Os populares dizem que é de "lastimar" a aflição que se vive.

  • GNR resgata 45 sírios no mar Egeu
    2:28

    Crise Migratória na Europa

    A Guarda Nacional Republicana já resgatou quase 300 migrantes no mar Egeu, ao largo da Grécia, desde o início de maio. Esta quarta-feira de madrugada, os militares salvaram 45 sírios que tentavam chegar à Grécia numa embarcação de borracha.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.