sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Sindicato e Conselho Deontológico repudiam ataque de advogado de Sócrates a jornalista

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) e o Conselho Deontológico repudiaram o "insultuoso ataque" que o advogado de José Sócrates, João Araújo, fez a uma jornalista do Correio da Manhã (CM) e esperam que "não se volte a repetir".

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

ANDRÉ SANANO/LUSA

Numa posição conjunta da direção do SJ e do Conselho Deontológico sobre os insultos a jornalistas, enviada à Lusa, as duas entidades "repudiam o insultuoso ataque" e esperam "que não se volte a repetir".

"Num quadro geral de aumento de ataques e insultos a jornalistas assistimos hoje a um inusitado ataque a uma jornalista do Correio da Manhã por parte do advogado João Araújo, referem, salientando que "a jornalista estava a desempenhar o seu dever profissional após uma decisão de um tribunal". 

O advogado, acrescentam, "tem todo o direito a não responder a jornalistas, mas não pode insultar ninguém", pelo que "repudiam o insulto feito a uma jornalista" do Correio da Manhã. 

Entretanto, a jornalista Tânia Laranjo, CM, anunciou que vai apresentar uma queixa-crime ao Ministério Público contra o advogado de José Sócrates e uma outra à Ordem dos Advogados.

Em causa está a forma como João Araújo se dirigiu à jornalista no final da apreciação do pedido de 'habeas corpus' pelo Supremo Tribunal de Justiça, ao sugerir que "tomasse mais banho" porque "cheira mal".

A jornalista apresentará uma queixa em nome próprio, patrocinada pelo jornal Correio da Manhã, ao Ministério Público e outra à Ordem dos Advogados.

Em declarações à Correio da Manhã TV, o diretor do CM, Octávio Ribeiro, disse que o "jornal está disposto a processar" João Araújo.


As declarações de João Araújo ocorreram junto ao edifício do STJ, onde foi analisado e rejeitado o pedido de libertação imediata (habeas corpus) de José Sócrates apresentado pela defesa do ex-primeiro-ministro, num caso que teve como relator o juiz conselheiro Santos Cabral.

Na providência dirigida ao Supremo, a defesa de Sócrates alegava que o juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), deveria ter revisto a medida de coação de prisão preventiva ao fim de três meses, mas que ultrapassou esse prazo, e questiona também a competência do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e do TCIC para analisaram factos que alegadamente remontam ao período em que Sócrates era primeiro-ministro, pelo que a investigação caberia, por lei, ao STJ.


Lusa
  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.