sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Supremo recusa apreciar sexto Habeas Corpus para Sócrates

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) recusou apreciar o pedido de libertação imediata (habeas corpus) de José Sócrates apresentado por um empresário de Guimarães alegando a "falta de interesse em agir" do empresário.

© Hugo Correia / Reuters

Na fundamentação do pedido, o juiz conselheiro Armindo Monteiro alegou que "não reconhece interesse em agir direito de quem quer acautelar", não prosseguindo os autos para audiência nem se apreciando "o mérito" do "habeas corpus".

O cidadão Alfredo Lopes Pinto, por intermédio de advogado constituído, intentou a providência de "habeas corpus" argumentando que os eventuais crimes cometidos no período de desempenho das suas funções enquanto primeiro-ministro (...) não podem deixar de ser julgados pelo STJ".

Aquele gerente industrial reformado de Gondar, Guimarães, invocava ainda que o Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) "carece de competência para decretar a prisão preventiva [de Sócrates] e a Relação para intervir como instância de recurso".

Alegou também no pedido que houve "excesso de prisão preventiva ao omitir-se o reexame trimestral da prisão preventiva" de José Sócrates, em finais de fevereiro.

Na decisão agora tomada, o juiz relator Armindo Monteiro entendeu que, "na verdade, só se compreende a instauração da providência (habeas corpus) se e quando o detido não está assistido por defensor, seja por não se mostrar com capacidade mental para o constituir, seja porque não dispõe de condições económicas que o suportem, seja porque, injustificada e invecivelmente, não se propõe suscitar a providência".

Estando o detido José Sócrates patrocinado por advogado, entendeu o juiz conselheiro que, "não se compatibiliza, em grau algum, a intromissão de terceiro, sobrepondo-se, na defesa do valor da liberdade do detido, a quem melhor se posiciona do que o advogado ao corrente do processo e do modelo de defesa a estruturar".

Segundo refere a decisão, "o advogado de detido, ao ser ouvido, manifestou-se no sentido de não reconhecer utilidade à providência" que o empresário do norte apresentou.

Não reconhecendo assim "interesse em agir" ao empresário Alfredo Lopes Pinto, o STJ recusou apreciar o mérito do pedido em audiência de julgamento.

Na decisão, o juiz salientou que a providência de "habeas corpus" "não é, e nem pode ser, concebida como um super recurso, um recurso dos recursos, a ser usado quando as vias normais de impugnação das decisões se esgotaram", nem sequer "um meio sucedâneo do recurso onde se debatem questões que se inscrevem na jurisdição das instâncias sob pena de usurpação de poder".

Este indeferimento ocorre dois dias depois de o STJ ter também recusado o pedido de habeas corpus interposto pela defesa do ex-primeiro-ministro, que está preso preventivamente, em Évora, desde novembro de 2014, indiciado pelos crimes de fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais.



Lusa
  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC