sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Carlos Santos Silva já está em prisão domiciliária com pulseira eletrónica

Carlos Santos Silva já está em casa, onde vai ficar detido, com pulseira electrónica, a aguardar o fim da Operação Marquês.O amigo, José Sócrates, é agora o único arguido em prisão preventiva.

DR

O empresário, que foi detido no âmbito da Operação Marquês, chegou a casa, na zona de Telheiras em Lisboa, perto das sete da tarde.
Foi uma entrada rápida, pela garagem, no prédio onde reside com a mulher e a filha.

Carlos Santos Silva estava detido há seis meses. O amigo de José Sócrates é suspeito dos crimes de branqueamento de capitais fraude fiscal e corrupção.

Dos 8 arguidos da Operação Marquês, o ex-primeiro-ministro é o único que se mantém em prisão preventiva.
  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.