sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Marcelo dividido sobre efeitos políticos de eventual prisão domiciliária de Sócrates

O ex-líder do PSD Marcelo Rebelo de Sousa disse este sábado estar "dividido sobre a dimensão dos efeitos políticos" da eventual prisão domiciliária de José Sócrates, não sabendo ainda se esta decisão será favorável ou prejudicial para a campanha socialista.

O Ministério Público (MP) propôs a alteração da medida de coação do ex-primeiro-ministro José Sócrates, de prisão preventiva para prisão domiciliária. (Arquivo)

O Ministério Público (MP) propôs a alteração da medida de coação do ex-primeiro-ministro José Sócrates, de prisão preventiva para prisão domiciliária. (Arquivo)

Paulo Duarte / AP

O Ministério Público (MP) propôs a alteração da medida de coação do ex-primeiro-ministro José Sócrates, de prisão preventiva para prisão domiciliária, disse hoje aos jornalistas o advogado de José Sócrates, à saída do estabelecimento Prisional de Évora.

À chegada para um jantar-conferência do PSD/Vale de Cambra, Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações à agência Lusa e à SIC, Marcelo Rebelo de Sousa começou por comentar que "se isso acontecer não é uma surpresa" e, "numa primeira fase e em cima do acontecimento", disse estar "dividido sobre a dimensão dos efeitos políticos", podendo "dar para um lado ou para o outro".

"Por um lado, é evidente na cabeça de muita gente que isto significa um bocado apressadamente que se ele saiu é porque não é culpado ou é menos culpado. O que não é bem assim porque isto não tem a ver com o fundo do processo, mas na cabeça de muita gente significa que apesar de tudo não é tão grave para não o terem lá dentro. E isso, objetivamente, é favorável ao PS", antecipou.

Por outro lado, na opinião do antigo presidente do PSD, o facto de José Sócrates "estar cá fora significa ser o centro de todas as atenções" e assim "a campanha que até agora tinha passado à margem daquele assunto, pode de repente ter um fator novo que se chama José Sócrates, a favor e contra".

"E isso já não é tão bom para o PS porque em campanha o que interessa é o novo líder e olhar para o futuro e não falar do passado", explicou.

"Ou era agora ou era daqui a três meses e se o Ministério Público está convencido que neste momento não há razões de risco para o processo, o demorar mais três meses significaria a decisão ser tomada em cima da campanha eleitoral. E aí a interpretação política era muito pior", acrescentou ainda.

Para Marcelo Rebelo de Sousa "faz todo sentido esta decisão, se não há elementos que justifiquem agora a proteção do processo", ressalvando que apesar de esta ser tomada "por razões de direito", o facto de Sócrates ser político traz efeitos neste campo.

"Mesmo quando se pensaria que este ano político ia ser um ano que passava ao lado dele, é impossível passar ao lado dele, para bem e para mal. O que tem lógica porque foi primeiro-ministro. É muito difícil, num processo destes, havendo uma campanha eleitoral em curso não haver o risco de vez em quando haver umas misturas", considerou ainda.

José Sócrates foi detido a 21 de novembro de 2014, no aeroporto de Lisboa, no âmbito da "Operação Marquês". Está indiciado pelos crimes de crimes de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção, sendo o único arguido ainda em prisão preventiva neste processo, depois de o empresário Carlos Santos Silva estar em prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, desde o final de maio. 
Lusa
  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.