sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Armando Vara detido no âmbito da Operação Marquês

Armando Vara foi detido para interrogatório no âmbito da Operação Marquês. A mesma que levou à detenção de José Sócrates. O ex-ministro socialista está detido nas instalações do comando metropolitano da PSP, em Lisboa, desde as 18h30. De acordo com um comunicado da Procuradoria- Geral da República, "estão em causa factos susceptíveis de integrarem os crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais".

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

A detenção surge depois de buscas efetuadas, esta quinta-feira, pelo Ministério Público e pela Autoridade Tributária quer na sua residência quer na sede da Caixa Geral de Depósitos de que foi administrador. 

Armando Vara é amigo pessoal de José Sócrates e foi já condenado a cinco anos de prisão efetiva no processo Face Oculta, que incluia várias escutas com o ex-primeiro-ministro, um processo que está em recurso no Tribunal da Relação do Porto.

Armando Vara vai ser ouvido em primeiro interrogatório judicial esta sexta-feira no Tribunal Central de Instrução Criminal, para aplicação de medidas de coação.

  • Percurso de Armando Vara marcado por sobressaltos e polémicas
    3:19

    País

    Armando Vara nasceu em Vinhais, Trás-os-Montes, há 61 anos. É descrito como um homem que subiu a pulso mas com uma vida marcada por sobressaltos e polémicas. Passou pela política como ministro de António Guterres, e pela banca, na Caixa Geral de Depósitos e BCP. Está condenado a 5 anos de prisão no escândalo das sucatas e não está preso porque recorreu.

  • Bruno de Carvalho garante empenho do Sporting
    0:52

    Desporto

    Bruno de Carvalho diz que o Sporting continua empenhado apesar do momento que o clube atravessa. O presidente leonino discursou ao início da tarde no núcleo Leões da Madeira, no Funchal, onde o Sporting joga hoje com o Marítimo.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.