sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Vara suspeito de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais

O ex-ministro Armando Vara foi detido hoje para interrogatório judicial no âmbito da Operação Marquês por suspeita dos crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais, informou a Procuradoria-Geral da República (PGR).

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

De acordo com a nota da PGR, Armando Vara vai ser presente, na sexta-feira, ao Tribunal Central de Instrução Criminal (TCI), para interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação, acrescenta a nota da PGR.

De acordo com a PGR, na sequência das investigações em curso no âmbito da "Operação Marquês, "foi emitido um mandado de detenção fora de flagrante delito, para sujeição a interrogatório judicial, relativamente ao suspeito Armando Vara".

"Estão em causa factos suscetíveis de integrarem os crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais", refere a nota. Armando Vara é suspeito dos mesmos crimes de que o ex-primeiro-ministro José Sócrates, em prisão preventiva desde 25 de novembro último, se encontra indiciado.

A PGR acrescenta que foram também realizadas buscas domiciliárias em instalações de sociedades e numa instituição bancária.

Nas diligências, realizadas por um magistrado do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), o Ministério Público foi coadjuvado pela Autoridade Tributária (AT) e pela Polícia de Segurança Pública (PSP).

  • Percurso de Armando Vara marcado por sobressaltos e polémicas
    3:19

    País

    Armando Vara nasceu em Vinhais, Trás-os-Montes, há 61 anos. É descrito como um homem que subiu a pulso mas com uma vida marcada por sobressaltos e polémicas. Passou pela política como ministro de António Guterres, e pela banca, na Caixa Geral de Depósitos e BCP. Está condenado a 5 anos de prisão no escândalo das sucatas e não está preso porque recorreu.

  • Análise à detenção de Armando Vara
    15:48

    Operação Marquês

    O ex-ministro Armando Vara foi detido hoje para interrogatório judicial no âmbito da Operação Marquês por suspeita dos crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais, informou a Procuradoria-Geral da República (PGR). A análise é de Ricardo Costa, diretor do jornal Expresso.

  • Armando Vara ouvido hoje no Tribunal Central de Instrução Criminal
    1:43

    Operação Marquês

    O ex-ministro Armando Vara vai ser ouvido esta sexta-feira no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), em Lisboa, no âmbito da Operação Marquês, por suspeita de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais, segundo uma nota da Procuradoria-Geral da República (PGR). O antigo ministro de Sócrates foi detido ontem para interrogatório no âmbito da Operação Marquês, a mesma que levou à detenção do ex-primeiro-ministro. Eis os pormenores da detenção, com a jornalista Marisa Caetano Antunes.

  • Armando Vara detido no âmbito da Operação Marquês

    Operação Marquês

    Armando Vara foi detido para interrogatório no âmbito da Operação Marquês. A mesma que levou à detenção de José Sócrates. O ex-ministro socialista está detido nas instalações do comando metropolitano da PSP, em Lisboa, desde as 18h30. De acordo com um comunicado da Procuradoria- Geral da República, "estão em causa factos susceptíveis de integrarem os crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais".

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.