sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Armando Vara fica em prisão domiciliária

O juiz de instrução determinou esta sexta-feira a prisão domiciliária de Armando Vara, detido na quinta-feira por suspeitas de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais, no âmbito da "operação Marquês", anunciou o Ministério Público.

MIGUEL A. LOPES / Lusa

Em comunicado, a mesma fonte indicou que o juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal "decidiu aplicar ao arguido as medidas de coação de obrigação de permanência na habitação sujeita a vigilância eletrónica e de proibição de contactos, designadamente com os restantes arguidos no processo".

Armando Vara, de 61 anos, foi detido na quinta-feira por elementos da PSP que também realizaram buscas à sua casa, escritório e instalações da Caixa Geral de Depósitos.

Em setembro do ano passado, Armando Vara foi condenado a cinco anos de prisão efetiva, no processo Face Oculta, por tráfico de influências. Esta decisão está em recurso no Tribunal da Relação do Porto.

A 'Operação Marquês', relacionada com diversos crimes económicos, já conta com nove arguidos, sendo que o ex-primeiro ministro José Sócrates é o único que se encontra preso preventivamente, indiciado por fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais.

O empresário Carlos Santos Silva, o administrador do grupo Lena Joaquim Barroca, o ex-motorista de Sócrates João Perna, o administrador da farmacêutica Octapharma Paulo Lalanda de Castro, a mulher de Carlos Santos Silva, Inês do Rosário, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e o presidente da empresa que gere o empreendimento de Vale do Lobo, Diogo Gaspar Ferreira são os outros arguidos no processo.

Com Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),