sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Defesa de Sócrates vai recorrer da prisão domiciliária

O advogado de José Sócrates considerou esta sexta-feira "insuficiente" a alteração de prisão preventiva para prisão domiciliária da medida de coação imposta ao ex-primeiro-ministro e avançou à agência Lusa que vai recorrer da decisão.

Sócrates deixou hoje a prisão de Évora. (Arquivo)

Sócrates deixou hoje a prisão de Évora. (Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

"Esta decisão é insuficiente e será intentado recurso", referiu o advogado João Araújo.

Questionado sobre o motivo que o leva a afirmar que a decisão do juiz Carlos Alexandre é "insuficiente", Araújo argumentou que José Sócrates "devia ser libertado pura e simplesmente, com ou sem pedido de desculpas".

A defesa do ex-primeiro-ministro tem alegado, desde o início do inquérito, a inocência do arguido.

Dos arguidos no processo "Operação Marquês", apenas continuava preso, desde 21 de novembro de 2014, José Sócrates, indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva.

O antigo líder do PS vai passar a regime de prisão domiciliária, segundo indica uma nota do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa.

José Sócrates, no seguimento de um despacho de hoje, vai aguardar os ulteriores termos do processo, "sujeito à medida de coação de obrigação de permanência na habitação" e "bem assim de proibição de contactos de forma direta ou indireta com diversas entidades e pessoas singulares" ligadas ao caso.

O empresário Carlos Santos Silva - amigo de longa data de Sócrates - esteve preso preventivamente, mas, em maio, passou a estar em prisão domiciliária, com pulseira eletrónica.

Além de José Sócrates e Carlos Santos Silva, são arguidos o empresário Joaquim Barroca, o ex-motorista de Sócrates João Perna, o administrador da farmacêutica Octapharma Paulo Lalanda de Castro, a mulher de Carlos Santos Silva, Inês do Rosário, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira, o presidente da empresa que gere o empreendimento de Vale do Lobo, Diogo Gaspar Ferreira e o ex-ministro Armando Vara

Com Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47