sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

José Sócrates em prisão domiciliária sem pulseira eletrónica

O ex-primeiro-ministro José Sócrates chegou a casa, pelas 21:00, numa rua de Lisboa, perto da Alameda Afonso Henriques. Chegou numa carrinha azul escura, vestido de 't-shirt' cinzenta, calças de ganga e ténis. Sócrates vai passar a regime de prisão domiciliária, sem vigilância eletrónica.

JO\303\203O RELVAS

Alguns populares no local aplaudiram a chegada de Sócrates.

O advogado de José Sócrates, João Araújo, acompanhava o ex-líder do PS mas não quis prestar declarações.

"Obrigação de permanência na habitação (sem sujeição a vigilância electrónica)"

De acordo com a nota publicada pela PGR, "o Tribunal Central de Instrução Criminal determinou que o arguido fique sujeito à obrigação de permanência na habitação (sem sujeição a vigilância electrónica), bem como à proibição de contactos, designadamente com outros arguidos no processo."

A mesma fonte refere que o "Ministério Público promoveu a alteração da medida de coação, por considerar que, face à prova reunida desde a última reapreciação, se mostra reforçada a consolidação dos indícios, o que diminui o perigo de perturbação do inquérito."

O último dos nove arguidos a sair

José Sócrates era o único dos nove arguidos da Operação Marquês em prisão preventiva.

Sócrates está indiciado por corrupção passiva, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais.

O ex-primeiro-ministro foi detido a 21 de novembro, no aeroporto de Lisboa.

Defesa vai recorrer da prisão domiciliária

O advogado de José Sócrates considerou "insuficiente" a alteração de prisão preventiva para prisão domiciliária da medida de coação imposta ao ex-primeiro-ministro e avançou à agência Lusa que vai recorrer da decisão. "Esta decisão é insuficiente e será intentado recurso", referiu João Araújo.

Costa convicto de que processo não influenciará eleições

O secretário-geral do PS manifestou-se convicto de que a alteração da medida de coação aplicada ao ex-primeiro-ministro socialista José Sócrates não irá influenciar o resultado das eleições legislativas de 4 de outubro.

"São dois processos que correrão em paralelo. As pessoas determinarão o seu sentido de voto, assim como a justiça determinará a sua função e o eng. José Sócrates determinará a sua defesa", sustentou António Costa, em declarações à SIC Notícias, em Braga.

Passos Coelho recusou comentar

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, recusou-se a fazer qualquer comentário sobre a alteração da medida de coação aplicada ao seu antecessor, José Sócrates, que passou a estar em prisão domiciliária.

"Foi sempre assim: não é hoje que vou abrir uma exceção. Não faço nenhum comentário", disse Pedro Passos Coelho após a assinatura de um acordo de colaboração entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

Jerónimo defende separação de poderes e não aproveitamento político

O secretário-geral do PCP defendeu hoje o princípio da separação de poderes, ao comentar os desenvolvimentos do processo judicial do ex-primeiro-ministro socialista José Sócrates, e garantiu que o partido não vai fazer aproveitamento político do caso. O líder comunista desejou o "apuramento da verdade para bem de todos, com eficácia" e "sem misturar coisas que não são misturáveis".

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.