sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Armando Vara quer ter acesso aos autos no âmbito da "Operação Marquês"

A defesa de Armando Vara, arguido na "Operação Marquês", anunciou hoje que vai solicitar o acesso aos autos da investigação, depois de o Tribunal da Relação de Lisboa ter decretado o fim do segredo de justiça interno no caso.

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

"Naturalmente que queremos conhecer rapidamente o processo, para estarmos mais aptos a consolidar a nossa posição sobre a matéria" disse o advogado Tiago Rodrigues Bastos, que defende Armando Vara.

A informação foi avançada um dia depois de o Tribunal da Relação de Lisboa ter indeferido um requerimento do Ministério Público que pedia a nulidade do acórdão de 24 de setembro, do mesmo tribunal superior, que decretava o fim do segredo de justiça interno da investigação da "Operação Marquês".

Tiago Rodrigues Bastos frisou ainda que a medida de coação aplicada ao seu cliente "foi decidida em circunstâncias que não deviam ter sido observadas", referindo-se ao facto de o caso já não estar em segredo de justiça, quando o ex-ministro foi interrogado, no passado mês de julho.

"Quando o doutor Armando Vara foi ouvido, segundo o que agora diz o acórdão, já a consulta do processo lhe devia ter sido facultada e não foi. Consideramos que há aqui uma situação anómala", adiantou o advogado, sem referir quais as consequências para o processo.

O defensor de Vara referiu ainda que o ex-ministro continua em prisão domiciliária, mais de uma semana depois de o juiz Carlos Alexandre ter substituído aquela medida de coação pela prestação de uma caução de 300 mil euros.

"Estamos neste momento à espera de um despacho do juiz que declare validamente prestada a caução", disse Tiago Rodrigues Bastos, que espera que esta situação seja resolvida rapidamente, "com a cessação da medida de prisão domiciliária e a consequente retirada da pulseira".

Além da caução, Vara está proibido de contactar os restantes arguidos no processo e de se ausentar para o estrangeiro.

O ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD) está em prisão domiciliária com pulseira eletrónica, desde 10 de julho, após ter sido detido no âmbito da "Operação Marquês", por suspeitas de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção passiva.

A "Operação Marquês", relacionada com diversos crimes económicos, conta com nove arguidos, designadamente o ex-primeiro ministro José Sócrates, indiciado por fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais.

O empresário Carlos Santos Silva, o administrador do grupo Lena Joaquim Barroca, o ex-motorista de Sócrates João Perna, o administrador da farmacêutica Octapharma Paulo Lalanda de Castro, a mulher de Carlos Santos Silva, Inês do Rosário, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e o presidente da empresa que gere o empreendimento de Vale do Lobo, Diogo Gaspar Ferreira, são os outros arguidos no processo.

Lusa

  • "Sinto-me como quem leva uma sova monumental"
    0:30
  • Temperaturas vão subir até 4ª feira

    País

    As temperaturas vão subir até esta quarta-feira, prevendo-se máximas entre os 22 e os 29 graus na generalidade do território, valores acima do normal para a época do ano, adiantou hoje a meteorologista Maria João Frada.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Equipa responsável por renovação da Proteção Civil ainda não é conhecida
    2:45

    País

    A constituição da unidade de missão que deverá entrar esta segunda-feira em funções para concretizar a reforma dos sistemas de prevenção e combate a incêndios ainda não é conhecida. A equipa de trabalho anunciada por António Costa será responsável por pôr de pé o novo sistema de Proteção Civil, aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de sábado.

  • "Quero unir o PSD depois de o clarificar"
    1:17
  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.