sicnot

Perfil

Operação Marquês

Um ano depois da prisão de Sócrates a investigação ainda está longe do fim

Um ano depois da prisão de Sócrates a investigação ainda está longe do fim

Praticamente um ano depois da prisão de José Sócrates, a investigação da Operação Marquês está ainda longe do fim. Os investigadores continuam a trabalhar numa montanha de papel e de informação: extratos bancários, contratos de obras públicas, escutas e outras provas, que levam a um labirinto de pistas onde é difícil seguir o rasto do dinheiro. Há três semanas, a SIC enviou a José Sócrates uma lista de perguntas relacionadas com as suspeitas do processo, mas os esclarecimentos chegaram apenas esta quinta-feira, já ao final da tarde. A SIC irá isso divulgar esta sexta-feira as respostas dadas pelo ex-primeiro-ministro.

  • Operação Marquês em Reportagem Especial
    0:22

    Programas

    Faz esta semana um ano que os arguidos da Operação Marquês começaram a ser detidos. Assinalamos a data com a exibição de uma Reportagem Especial sobre a investigação iniciada há dois anos e quatro meses. Para ver mais logo no Jornal da Noite da SIC.

  • O fundo imobiliário de Santos Silva
    3:06

    Operação Marquês

    Faz esta semana um ano que os arguidos da Operação Marquês começaram a ser detidos. Assinalamos a data com a exibição de uma Reportagem Especial sobre a investigação iniciada há dois anos e quatro meses. O Ministério Público defende que Santos Silva e Sócrates tentaram ocultar o património e desse plano faria parte a criação dum fundo imobiliário de investimento fechado.

  • Até onde avançou a Operação Marquês
    28:47

    Operação Marquês

    Faz esta semana um ano que José Sócrates foi detido por suspeitas de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito. Vamos procurar mostrar até onde avançou a investigação, que já leva quase dois anos e meio. Tentámos obter respostas e ouvir as vozes das defesas dos arguidos, mas apenas o advogado de João Perna aceitou a entrevista. Também a José Sócrates a SIC enviou há três semanas uma lista de perguntas e a resposta dos advogados chegou apenas hoje, já ao fim da tarde: são sete páginas enviadas por correio eletrónico. Não vieram a tempo de serem tratadas para integrar esta reportagem, mas a notícia será dada esta sexta-feira no Jornal da Noite.

  • Um ano depois da prisão de Sócrates a investigação ainda está longe do fim
    3:56

    Operação Marquês

    Praticamente um ano depois da prisão de José Sócrates, a investigação da Operação Marquês está ainda longe do fim. Os investigadores continuam a trabalhar numa montanha de papel e de informação: extratos bancários, contratos de obras públicas, escutas e outras provas, que levam a um labirinto de pistas onde é difícil seguir o rasto do dinheiro. Há três semanas, a SIC enviou a José Sócrates uma lista de perguntas relacionadas com as suspeitas do processo, mas os esclarecimentos chegaram apenas esta quinta-feira, já ao final da tarde. A SIC irá isso divulgar esta sexta-feira as respostas dadas pelo ex-primeiro-ministro.

  • Os "esquemas" de financiamento de Santos Silva a Sócrates
    3:46

    Operação Marquês

    Na tese da investigação, José Sócrates e Carlos Santos Silva terão arranjado vários esquemas para fazer sair o dinheiro das contas do empresário para o bolso do antigo primeiro-ministro. Um delas passaria pelo pagamento de viagens e hotéis. O Ministério Público diz que, em seis anos, o empresário Carlos Santos Silva gastou mais de 350 mil euros em viagens para ambos ou apenas para o ex-primeiro-ministro.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Johnny Depp sugere assassínio de Trump
    0:31