sicnot

Perfil

Operação Marquês

"Mantiveram-no preso durante quase um ano sem provas"

Exclusivo SIC

"Mantiveram-no preso durante quase um ano sem provas"

O advogado João Araújo diz que nunca acreditou que José Sócrates fosse julgado. Adianta ainda que desde o primeiro dia que teve contacto com o processo "Operação Marquês" percebeu que o Ministério Público não tinha indícios sólidos que permitissem prender o ex-primeiro ministro. "Prenderam o senhor engenheiro José Sócrates, mantiveram-no preso durante quase um ano sem qualquer indício, sem provas, sem factos, insistiu.

As declarações foram feitas, quarta-feira à noite, na SIC Notícias, durante um debate sobre a "Operação Marquês".

A Operação Marquês já conta com mais de uma dezena de arguidos, entre os quais o ex-primeiro-ministro José Sócrates, que está indiciado pelos crimes de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito.

  • Os investigadores dos grandes processos
    10:09

    Reportagem Especial

    O Ministério Público está a investigar as suspeitas de terrorismo e a ameaça do Daesh em Portugal. Há vários processos em curso no departamento que investiga a criminalidade mais violenta, mas também os grandes casos de corrupção, como os que envolvem José Sócrates e Ricardo Salgado. Fomos conhecer os êxitos e os entraves das investigações mais mediáticas.

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15