sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

PGR esclarece que não foi fixada data para conclusão de inquérito à Operação Maquês

RICARDO GRA\303\207A

A Procuradoria-Geral da República (PGR) esclareceu este sábado que não foi fixada, de momento, qualquer data para a conclusão do inquérito e emissão de despacho final da Operação Marquês, tendo apenas sido prorrogado o prazo.

Num esclarecimento enviado à comunicação social, a PGR refere que Joana Marques Vidal atendeu ao pedido de "prorrogação do prazo para a conclusão do inquérito e emissão de despacho final" solicitado pelos magistrados titulares da Operação Marquês".

No entanto, adianta a nota, a procuradora-geral da República "não fixou, até ao momento, prazo para o encerramento do inquérito e emissão de despacho final", tendo sido o final do mês de junho o prazo estimado pelos procuradores do processo para a conclusão dos trabalhos.

O esclarecimento da PGR surge após Joana Marques Vidal ter anunciado, num comunicado divulgado na sexta-feira, que decidiu prolongar o prazo de investigação da Operação Marquês a pedido dos procuradores do processo, que solicitaram um prolongamento até final de junho.

Na nota divulgada este sábado, a procuradora-geral da República sublinhou também que determinou ao diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), Amadeu Guerra, para "prestar informação sobre a evolução do inquérito até finais de abril", altura em que terá que indicar, "se esse for o caso, um prazo que se mostre ainda necessário à conclusão dos trabalhos".

Em abril, deverá ser também ponderada "a adoção de medidas de gestão que se mostrem adequadas a que o prazo a definir seja cumprido", refere ainda a PGR.

Os procuradores da Operação Marquês justificam o adiamento da conclusão do inquérito com a necessidade de aprofundar a investigação ligada à PT, realizar novas diligências e com atrasos de Angola e Suíça na resposta a cartas rogatórias, segundo a nota divulgada na sexta-feira pela PGR.

Os procuradores fundamentam ainda o pedido com a insuficiência dos relatórios de análise de prova, apresentados pelo órgão de polícia criminal, em relação a alguns segmentos, adiantando que o Ministério Público precisa de realizar pesquisas na totalidade do acervo de prova.

A 14 de setembro de 2016, a procuradora-geral da República tinha decidido conceder mais 180 dias, prazo que terminou na sexta-feira, aos titulares do inquérito, que envolve o ex-primeiro-ministro José Sócrates.

A Operação Marquês, que investiga crimes de corrupção, branqueamento de capitais, fraude fiscal, recebimento indevido de vantagem, falsificação e tráfico de influência, foi tornada pública pelo Ministério Público em novembro de 2014 e conta agora com 28 arguidos, dos quais nove empresas.

Lusa

  • "Tudo o que se está a passar no Sporting tem um único responsável: Bruno de Carvalho"
    7:08
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.