sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Antigo comandante admite que "não havia meios suficientes" em Pedrógão Grande

Armando Franca

O antigo comandante dos Bombeiros de Pedrógão Grande, João Dias, lamentou hoje a tragédia que atinge o concelho e outros dois municípios do distrito de Leiria, admitindo que contra a situação vivida nas últimas horas "não havia meios suficientes".

"O vento era muito forte, era como o diabo, que corria mais do que nós", desabafou João Dias, em declarações à agência Lusa.

No vizinho concelho da Sertã, Rute Silva, viu o seu marido ajudar no combate às chamas que deflagraram no sábado em Pedrógão Grande e que provocaram, segundo o último balanço oficial, 62 mortos e 57 feridos.

"Não podíamos ficar sozinhos. Somos uns para os outros", diz a moradora, que há quase 24 horas não vê o marido.

Apesar da ausência, a mulher não se mostra preocupada, porque ambos já estão "habituados a estas crises" e o marido já foi bombeiro.

"Agora anda por aí, mas ajuda a limpar terrenos e a acalmar os mais velhinhos", diz Rute Silva.

No centro de Pedrógão Grande, hoje, há pouca gente nas ruas da vila do distrito de Leiria.

"Quem tem coisas para segurar, fica em casa. Quem não tem, vai ajudar", explicou António Santos, reformado, sentado num banco de jardim.Junto ao posto de comando, ao início da tarde, começavam a chegar bens de primeira necessidade.

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, apelava às pessoas para que entreguem fruta e bens frescos para ajudar os homens envolvidos nas operações de combate às chamas."Tudo o que for fresco é bem-vindo", disse o dirigente dos bombeiros.

Pelo menos 62 pessoas morreram no incêndio que atinge Pedrógão Grande e outros dois municípios desde sábado, de acordo com o último balanço efetuado hoje pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.

O fogo mantinha quatro frentes ativas, duas delas a arder "com muita violência" e duas em que os bombeiros estavam a conseguir ganhar terreno, adiantou o governante.

Em relação às dificuldades sentidas no combate ao fogo, Jorge Gomes disse que estão a ser utilizados os meios que as circunstâncias permitiam e, depois de os meios aéreos não terem podido atuar logo desde as 08:00 devido a uma cortina de fumo, um Canadair espanhol já estava no local a auxiliar os bombeiros no terreno.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59