sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Avião P3-C da Força Aérea vai apoiar na monitorização do incêndio

Rafael Marchante

Um avião P3-C Orion a Força Aérea Portuguesa (FAP) vai ser mobilizado para o incêndio de Pedrógão Grande, distrito de Leiria, para ajudar na monitorização do fogo, disse à agência Lusa fonte deste ramo das forças armadas.

A aeronave deverá descolar pelas 16:00 da Base Aérea Nº 11, em Beja, para o aeroporto militar de Figo Maduro, em Lisboa, onde vão embarcar dois elementos da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) e depois rumar até ao teatro de operações para também ajudar "na identificação de pontos quentes suscetíveis de gerarem reacendimentos", indicou fonte da ANPC.

O fogo, que causou pelo menos 61 mortos e mais de 50 feridos, deflagrou ao início da tarde de sábado numa área florestal em Escalos Fundeiros, em Pedrógão Grande, e alastrou-se aos municípios vizinhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, obrigando a evacuar povoações e deixando-as isoladas.

Em comunicado entretanto divulgado na sua página da internet, a ANPC refere que "no sentido de apoiar o esforço de combate dos mais de 800 operacionais que se debatem na luta contra as chamas em Pedrógão Grande, a Marinha (Fuzileiros) e o Exército disponibilizaram meios logísticos diferenciados para reforço às operações que decorrem no terreno".

A ANPC explica que o P3-C Orion da FAP vai "apoiar os meios de combate, designadamente fazendo a monitorização da área ardida e a identificação de pontos quentes suscetíveis de gerarem reacendimentos". Esta aeronave é habitualmente utilizada no patrulhamento marítimo e está equipada com radares e capacidade de fotografia e vídeo.

A FAP já tinha um helicóptero Alouette III afeto ao Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais.

Quatro pelotões do Exército encontram-se desde a manhã de hoje no terreno em operações de rescaldo e verificação.

Dois aviões 'Canadair' espanhóis já estão empenhados no combate ao incêndio e, durante a tarde de hoje, deverão chegar três meios aéreos franceses, disse anteriormente a Proteção Civil.

Fonte da ANPC acrescentou nessa ocasião à Lusa que é possível que Espanha envie "mais um ou dois" destes meios aéreos para ajudar no combate ao fogo, acrescentando que durante a tarde, deverão chegar ao teatro de operações mais dois 'Canadair' e um meio aéreo, estes três vindos de França.

De acordo com a informação divulgada na página na Internet da ANPC, as chamas que deflagraram às 14:43 de sábado, em Pedrógão Grande, mobilizavam às 15:50 de hoje766 operacionais, 237 veículos e seis meios aéreos.

O fogo deflagrou ao início da tarde de sábado numa área florestal em Escalos Fundeiros, em Pedrógão Grande, distrito de Leiria, e alastrou-se aos municípios vizinhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, obrigando a evacuar povoações ou deixando-as isoladas.

Segundo o último balanço feito hoje pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, cerca das 13:00, o incêndio provocou pelo menos 61 mortos.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52